Blizzard anuncia Copa Mundial de Overwatch 2017 em novo formato

Blizzard anuncia Copa Mundial de Overwatch 2017 em novo formato

A Blizzard anunciou nessa sexta-feira as novas regras para a segunda edição da Overwatch World Cup, a copa mundial do seu mais recente sucesso.

As mudanças na OWC já começam com a seleção dos países participantes. No ano passado, seis foram convidados para participar do campeonato, incluindo o Brasil, enquanto que outros 45 participaram de classificatórias por continente para ocupar as 10 vagas restantes. Dessa vez, a Blizzard preparou um sistema para medir o nível de habilidade de cada país a partir das classificações dos 100 melhores jogadores do país. As 32 melhores nações no ranking ao fim da contagem regressiva, no dia 25 de abril, se classificam para o torneio. Atualmente, a campeã do ano passado Coreia do Sul divide o top 3 com China e Estados Unidos, enquanto o Brasil acena lá da 18ª posição. Veja o ranking completo aqui.

Com os países selecionados, chega a hora de definir os integrantes de cada time. O voto popular ainda será essencial para isso, mas ao invés do público votar nos jogadores que quer no time, os representantes nacionais serão escolhidos por esse método. Estes, por sua vez, têm a tarefa de definir a melgor composição de seu país para ingressar no campeonato.

A disputa real será divida em fase de grupos e playoffs. A fase de grupos acontecerá durante o inverno (verão norte americano), e terá quatro cidades sede ao redor do mundo, ainda não reveladas. Já os playoffs serão disputados em 8 jogos mata-mata durante a Blizzcon 2017, nos dias 3 e 4 de novembro em Anaheim.

A mudança no formato do torneio acompanhou bem a evolução de Overwatch nesse um ano de vida. Ficou bem claro no ano passado que a primeira OWC era basicamente um showmatch do jogo para o público, que tinha o poder de escolher todos os integrantes do time que iriam participar da disputa.

Com um cenário mais maduro, dar a escolha dos jogadores para representantes, esses sim escolhidos pelo público é um jeito bem eficaz das seleções nacionais serem as melhores possíveis.

Esse formato ainda pode não ser o mais competitivo, afinal, questões como entrosamento e calendário de treinos ainda interferem no desempenho dos times, mas ainda é um tipo de torneio divertido e raríssimo hoje, com o fim da WCG e as mudanças no AllStars/MSI.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *