Conheça as equipes do LEC

Conheça as equipes do LEC

Nota: esse artigo será atualizado constantemente de acordo com os jogadores anunciados nas equipes do LEC.

No dia 20 de Novembro a Riot anunciou as franquias selecionadas para disputar a liga europeia em 2019. A empresa aproveitou para divulgar a nova identidade da competição, que agora se chama League of Legends European Championship (LEC).
Conheça um pouco das organizações e jogadores que estarão no torneio mais importante do velho continente:

Fnatic:

Seria uma enorme decepção se a Fnatic ficasse de fora do League of Legends European Championship. A organização é a maior vencedora do EU LCS e a única a participar de todos os splits da competição. Os fãs esperam que o time mantenha sua dominância regional e repita as boas atuações internacionais, como fez no mundial de 2018.

Topo: Gabriël “Bwipo” Rau
Selva: Mads “Broxah” Brock-Pedersen
Meio: Tim “Nemesis” Lipovšek
Atirador: Martin “Rekkles” Larsson
Suporte: Zdravets “Hylissang” Iliev Galabov

G2 Esports:

A G2 Esports chegou ao EU LCS com o pé na porta. Após conquistar o acesso à elite da Europa em 2016, a organização espanhola venceu quatro splits seguidos. Essa sequência de dominação foi a mais longa dentre todas as ligas regionais ao redor do mundo.

Topo: Martin “Wunder” Hansen
Selva: Marcin “Jankos” Jankowski
Meio: Rasmus “Caps” Winther
Atirador: Luka “Perkz” Perković
Suporte: Mihael “Mikyx” Mehl

Misfits Gaming:

Presente no EU LCS desde 2017, a Misfits Gaming já tem muita história pra contar. A equipe apoiada financeiramente pelo Miami Heat teve um ano de estreia meteórico. Foram duas participações nos playoffs do EU LCS e uma série pegada contra a SK Telecom T1 no mundial. Em contrapartida, os coelhos não foram bem em 2018 e buscam seu primeiro título no LEC.

Topo: Paul “sOAZ” Boyer
Selva: Nubar “Maxlore” Sarafian
Meio: Fabian “Febiven” Diepstraten
Atirador: Steven “Hans Sama” Liv
Suporte: Kang “GorillA” Beom-hyeon

FC Schalke 04:

A história do time alemão no League of Legends é marcada por enormes decepções e pequenas retomadas. Eles chegaram no EU LCS em 2016 através da compra da Elements, mas foram rebaixados em sua primeira participação.

A equipe se reformulou e montou um plantel promissor, mas que precisou de duas tentativas para voltar à elite europeia. A organização chegou em 2018 com muito hype e novamente não foi capaz de alcançar as expectativas. Talvez o novo nome e logo ajudem a mudar a sorte dessa equipe com tanto potencial.

Topo: Andrei “Odoamne” Pascu
Selva: Jonas “Memento” Elmarghichi
Meio: Felix “Abbedagge” Braun
Atirador: Elias “Upset” Lipp
Suporte: Lee “IgNar” Dong-geun

Splyce:

Fundada em 2015, a Splyce chegou ao EU LCS um ano depois com a compra do promissor plantel dinamarquês da Dignitas EU. O maior feito da organização foi a conquista da vaga no 2017 World Championship.

Mesmo com bons resultados a equipe não consegue se estabelecer como uma marca forte e relevante. Uma das missões do LEC é engajar os fãs de League of Legends. Quem sabe a mudança de ares não faz com que a Splyce se torne um dos grandes nomes dos esports?

Topo: Tamás “Vizicsacsi” Kiss
Selva: Andrei “Xerxe” Dragomir
Selva (substituto): Sebastián “Tierwulf” Andrés Mateluna Cibrario
Meio: Marek “Humanoid” Brázda
Atirador: Kasper “Kobbe” Kobberup
Suporte: Tore “Norskeren” Hoel Eilertse

Team Vitality:

A equipe francesa chegou à elite europeia em 2016 e tem algumas semelhanças com a Splyce. Seu maior feito também foi a classificação para o mundial e a equipe coleciona algumas participações em playoffs. Em contrapartida, as abelhas fazem um excelente trabalho de comunicação e assessoria de imprensa. Kikis é uma máquina de memes, Jizuke é um dos jogadores mais carismáticos da liga e a eloquência de YamatoCannon garante muitas aparições em entrevistas e mesas de análise. O desafio da organização é converter o seu sucesso fora do servidor em uma prateleira cheia de troféus.

Topo: Lucas “Cabochard ” Simon-Meslet
Selva: Lee “Mowgli” Jae-ha
Meio: Daniele “Jiizuke” di Mauro
Atirador: Amadeu “Attila” Carvalho
Suporte: Jakub “Jactroll” Skurzyński

SK Gaming:

A SK Gaming é uma das equipes de esports mais tradicionais do mundo. Ela nasceu em 1997 e foi uma das oito equipes presentes no primeiro Split do EU LCS. Entretanto, problemas de gestão e investimento resultaram no rebaixamento do time em 2015 e o fim da divisão de LOL em 2016. A equipe voltou à ativa em 2018 na liga nacional alemã. Vale lembrar que nesse meio tempo o time foi a casa de Fallen & Cia e deixou sua marca no Counter Strike: Global Offensive.

Topo: Jorge “Werlyb” Casanovas Moreno-Torres
Selva: Oskar “Selfmade” Boderek
Meio: Choi “Pirean” Jun-sik
Atirador: Juš “Crownshot” Marušič
Suporte: Han “Dreams” Min-kook

Origen:

A Origen é o projeto de Xpeke após sua saída da Fnatic em 2014. A história do time se resume em um início promissor, uma campanha surpreendente no mundial de 2015 e a queda catastrófica em 2017.

Dessa vez, o clube irá operar sob o comando da RFRSH (dona da Astralis e do BLAST Pro Series). O League of Legends European Championship é a segunda chance da equipe viver seus dias de glória.

Topo: Barney “Alphari” Morris
Selva: Jonas “Kold” Andersen
Meio: Erlend “Nukeduck” Våtevik Holm
Atirador: Patrik “Sheriff” Jírů
Suporte: Alfonso “Mithy” Aguirre Rodríguez

exceL Esports:

A organização menos conhecida da lista vê o LEC como a porta de entrada para o Monte Olímpio dos esports. A equipe britânica não esteve presente no DOTA nem Overwatch e coleciona pequenas aparições no LOL e CS:GO.

A equipe teve um curto momento de grande visibilidade: a sua boa campanha na edição de lançamento no EU Masters.

Topo: Ki “Expect” Dae-han
Selva: Marc “Caedrel” Robert Lamont
Meio: Fabian “Exileh” Schubert
Atirador: Jesper “Jeskla” Klarin
Suporte: Raymond “kaSing” Tsang

Rogue:

A curta história da equipe ficou marcada pelo enorme sucesso no circuito aberto de Overwatch e a sua rejeição na OWL. O time de Steve Aoki também tem uma divisão de CS:GO, mas não teve sucesso na modalidade. Será que o LEC será o primeiro hit de sucesso dessa jovem organização?

Topo: Kim “Profit” Jun-hyung
Selva: Mateusz “Kikis” Szkudlarek
Meio: Chres “Sencux” Laursen
Atirador: Martin “HeaQ” Kordmaa
Suporte: Kim “Wadid” Bae-in

O que esperar do LEC?

O LEC marca a total ruptura entre a Europa e América do Norte, processo iniciado em 2018 com a chegada da PGL como produtora das transmissões do EU LCS. A nova liga é o estágio final do desenvolvimento de um produto único e genuinamente europeu. Com isso em mente, só podemos esperar por bons jogos, novas histórias e memes de qualidade. A nova era começa no dia 18 de janeiro.

Última atualização: 27 de Dezembro de 2018 às 06:13

Jogadores com o nome em itálico estão contratados, porém não foram anunciados oficialmente por suas organizações.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *