Conhecendo as equipes da Pro League LATAM: A tradição de paiN Gaming e Black Dragons

Conhecendo as equipes da Pro League LATAM: A tradição de paiN Gaming e Black Dragons

Quando se fala em jogos competitivos em geral, certamente paiN Gaming e Black Dragons aparecem no pensamento da maioria dos entusiastas de esports. De um lado temos a paiN Gaming, que é lembrada por ter participado dos maiores torneios dos vários esports, como LoL e DOTA 2. Do outro lado, a Black Dragons, fundada em 1997, é tida como a primeira grande equipe competitiva de jogos do Brasil.

Na Pro League, ambas organizações também querem deixar seu nome marcado. Em especial, com seu nome gravado no troféu de campeão, passando antes pelas finais da Pro League no Rio. A paiN, após uma breve pausa em dezembro de 2017, retorna ao cenário de Rainbow Six após adquirir a antiga line-up da YeaH! Gaming, composta por Guilherme “Revo1Tz” Lima, João Gabriel “yoona” da Silva, Gabriel “gCR” Teixeira, Lucas “SpawNsss” Bleichvel, Gabriel “fk1” de Souza e Leonardo “Mosk” Andreotti.

Formação da paiN Gaming para a Season 8 da Pro League LATAM. Da esquerda para direita: SpaWnsss, Revo1Tz, yoona, fk1 e gCR. (Facebook / paiN Gaming)

Os Dragões acabaram desfalcados de sua line-up do começo do ano, que foi para a recém-formada Ninjas in Pyjamas, no começo de junho. Para repor os membros perdidos, a Black Dragons adquiriu a formação da então ReD DevilS, equipe que havia acabado de subir para a Season 8 da Pro League. Brayam “Docky” Henrik, João “Drunkkzz” Giordani, Juliano “LeVy” Andrade, Rodrigo “Rdz” Santos e Alef “slasH-” Reis são os mais novos comandados de Nicolle “Cherrygumms” Merhy.

Formação da Black Dragons que disputa a Season 8 da Pro League LATAM. Da esquerda para direita: LeVy, Docky, Drunkkzz, slasH- e Rdz. (Twitter / Black Dragons)

Apesar do imenso talento que estes jogadores possuem, as equipes não se encontram em posições muito confortáveis na tabela da Pro League de Rainbow Six. A equipe da paiN Gaming vem de uma disputa até a última rodada do Brasileirão de R6, e conseguiram a vaga para as finais no Rio de Janeiro, em setembro, o que a colocava como uma franca favorita à disputa dos primeiros lugares na Pro League.

Até a sexta rodada, a paiN estava bem próxima dos primeiros lugares, estando atrás por uma diferença de três pontos dos dois primeiros lugares, mas a derrota sofrida na última rodada do primeiro turno foi dolorida. Perdendo por 6-0 para a Bootkamp, a paiN agora é colocada em xeque, mas ainda há tempo para alcançar seus principais adversários, agora seis pontos distantes de si.

Já a Black Dragons, por sua vez, tem muito trabalho para aplicar na Pro League, se ainda quiserem sonhar com a classificação para as finais em novembro, no Rio de Janeiro. Sem ter conquistado ainda vitórias únicas na competição, os Dragões terão que aproveitar a pausa da Pro League em agosto (por causa do Major de Paris, que ocorre neste mês) para se reestruturar e planejar seus próximos passos.

O que pode estar faltando a estes jogadores da Black Dragons é experiência. Por vezes, ao longo do primeiro turno, tiveram bons começos de série, mas a afobação para terminar as partidas deixavam a vitória escapar por entre os dedos. Um exemplo é a série contra a Immortals, onde após estarem 1-4, conseguiram o empate, vencendo três rodadas seguidas na defesa, porém logo foram derrotados por 4-6.

Classificação das equipes após o fim do primeiro turno da Pro League LATAM. A paiN está em sexto, enquanto a Black Dragons amarga o oitavo lugar. (Twitter / Rainbow Six Esports Brasil)

As duas equipes podem ainda não ter satisfeito as expectativas de seus torcedores, mas é preciso ter paciência. Com a mudança de formato na Pro League, em que não há mais a chance de se prolongarem as partidas até a prorrogação – ou como diria o narrador André Meligeni, “OOOO-VER-TIME!!”, cada round em uma série tem um peso maior, e cada derrota em um round pode ter impactos decisivos nas séries.

Com isto, resta apenas ao bom torcedor esperar que as equipes venham com maior foco e um planejamento melhor adequado, dado que todas as equipes já se enfrentaram ao menos uma vez. Material para estudo não falta, e usando das forças de seus talentosos jogadores, ainda é possível acreditar na classificação de ambas equipes para o Rio de Janeiro.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *