De lá da Capadócia – 1907 Fenerbahçe

De lá da Capadócia – 1907 Fenerbahçe

Apesar dos investimentos de Santos, Remo e mais recentemente de Flamengo e Avaí no e-sport brasileiro, nada se compara ao que acontece na Turkish Champions League. Na mira dos grandes clubes turcos desde 2014, a TCL já recebeu os times da Besiktas, que representou a região no MSI 2015, do Galatasaray e do 1907 Fenerbahçe, que venceu o Rift Rivals contra a LCL e é hoje seu representante no Mundial 2017.

A equipe do 1907 Fenerbahçe foi fundada no final de 2016 após adquirir a equipe B da SuperMassive, e logo montou a base do que é hoje, contratando Thaldrin, Frozen e Padden para se juntarem ao suporte Japone.

A primeira de 2017 marcou uma estreia muito inconsistente dos jogadores, com um placar de 4-6-4 em séries. A troca de técnicos durante o torneio, marcando a entrada de Pades ao grupo, ajudou a deixar o grupo mais centrado, mas não foi o suficiente para eles superarem a SuperMassive nas semifinais e caírem como 3º/4º colocados.

No intervalo entre as duas temporadas, a equipe realiza uma mudança essencial: a contratação do ex-UOL Move para a selva. Com a entrada do coreano, seu conterrâneo Frozen ganha mais recursos para trabalhar na rota do meio, e deslancha como o grande midlaner da segunda etapa, dominando cada um de seus adversários. Um bom exemplo disso foi sua atuação de Aurelion Sol na primeira partida da final, onde conseguiu garantir sua rota e constantemente fornecer apoio para as laterais, colocando em campo todas as vantagens que o campeão pode trazer.

(Divulgação/LoLEspor)

Velho conhecidos dos palcos internacionais, Thaldrin continuou se mostrando um top laner consistente, com uma presença similar a que Vvert possui na Team oNe. O grande defeito dessa equipe, por fim, está na fraca rota inferior, que acaba atrasando muito o jogo do Fenerbahçe.

Sua fase de rotas é extremamente arrastada, com eles recorrendo muito a inversões com o intuito de estacionar o jogo por tempo o suficiente para seu atirador ter mais impacto. Prova disso é o seu tempo médio de partida em torno de 37 minutos: pouco acontece até a marca dos 20, mas a medida que Padden começa a fechar seus itens, suas movimentações e investidas aumentam, e em pouco tempo, tudo que seus adversários podem fazer é se perguntar o porquê de ter aparecido a tela de derrota na tela.

O Fenerbahçe está longe de ser uma equipe invencível, mas conhece seus defeitos e sabe como contorná-los, o que os torna uma das equipes mais fortes dessa Fase de Entrada. A chance de classificação para a Fase de Grupos é alta, mas ainda é difícil dizer como seria seu desempenho contra os grandes do League of Legends. Pelo menos a UOL tem um representante no torneio.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *