De olho no Mundial: GPL, Celeiro de Surpresas

De olho no Mundial: GPL, Celeiro de Surpresas

Indiscutivelmente a sensação do MSI 2017, a Gigabyte Adonis Marines veio ao Brasil com uma missão: surpreender. A pouco conhecida equipe vinda da VCS (Vietnam Championship Series) – uma das menores (sub)regiões e mais ignorada pelo público geral – chegou taxada como underdog da Fase de Entrada e, após grandes jogos contra equipes wildcards, declarações fortes e surpresas contra a grande representante norte americana TSM.

Ao fim do quarto dia de Fase de Entrada, após grandes jogos e a classificação para a disputa de uma vaga no Rio de Janeiro, em meio a declarações na coletiva de imprensa, o técnico Dương “Tinikun” Nguyễn afirmou algo megalomaníaco e impensável para os espectadores dessa nova potência regional: que haviam estudado mais de 100 jogos da poderosa Flash Wolves, os “Korean Slayers”, e que estavam prontos para bate-los em uma possível série.

Esse foi só o começo do brilhante caminho trilhado pela equipe vietnamita que jogava com mouses e teclados extremamente baratos, possuía um estilo de jogo extremamente agressivo e que foi capaz de bater equipes favoritas da competição.

Avançando algum tempo e chegando nos dias atuais, faltando poucos meses para a disputa da Fase de Entrada do Mundial 2017, o sudeste asiático começa a definição de suas representantes. Devido ao grande desempenho da Marines no MSI 2017, a GPL garantiu uma vaga direta na segunda fase do Mundial, além da vaga na Fase de Entrada. A vaga da segunda fase será destinada à grande campeã da região, enquanto a vaga na Fase de Entrada ficará com a equipe vice-campeã.

Poucas semanas separam as equipes de cada região da GPL de sua definição. Enquanto alguns torneios apresentam claros favoritos, caso da PGS (Pro Gaming Series da Filipinas) que aguarda apenas o resultado da final entre Manila Eagles, invicta até agora, e Mineski, equipe que veio de um péssimo Rift Rivals e ocupou apenas a terceira posição na fase regular, outros campeonatos se mostram bem parelhos, caso da VCS (Vietnam Championship Series) onde, faltando 3 rodadas para seus playoffs, tem a Gigabyte Adonis Marines, com uma série a menos, e Young Generation na briga pela liderança.

Cada região tem seu favorito, mas isso leva à grande dúvida que paira o sudeste asiático há tempos: existe outro representante capaz de repetir os feitos da Marines ou, indo um pouco mais longe, até mesmo da Taipei Assassins de 2012? A possível resposta para essa pergunta só pode ser encontrada em três regiões de acesso à GPL:

Vietnã – VCS – Vietnam Championship Series

Sem dúvidas, o Vietnã é o país da GPL que nos últimos anos tem tido melhores resultados internacionais. Além de 4 títulos desde 2015 – Saigon Fantastic Five na primeira etapa de 2015, Saigon Jokers nas duas etapas de 2016 e Marines na primeira etapa 2017 -, o país conta com os títulos do All-Stars regional e entre as equipes Wildcard do mundo todo em 2016, somados a grandes apresentações de suas estrelas contra as equipes do evento principal. Ou seja, a VCS já deu seu cartão de visitas para o mundo.

O domínio regional veio com a criação da Gigabyte Adonis Marines no final de 2016. A organização vietnamita passou por grande reformulação, uma pequena mudança no nome e acertou a contratação e permanência de 3 jogadores com passagens pelas equipes de estrelas do país – Optimus, Levi e Archie – aliados à contratação do considerado melhor técnico da região, Tinikun. O plantel, que era uma espécie de dream team do sudeste asiático, conseguiu em menos de 6 meses resultados expressivos internacionalmente, passando desde completo domínio da GPL até vitórias contra grandes potências no MSI 2017, onde bateram Team WE, TSM e G2.

Dentro da primeira etapa da VCS, a Marines não teve dificuldades e foi, por muito, a melhor equipe do cenário, não encontrando adversários à sua altura dentro do país. Esse panorama se alterou para a segunda etapa. A ascensão de equipes pôs em cheque a hegemonia da Marines e suas chances de título. No quesito palco internacional, a Gigabyte Adonis Marines ainda é a única equipe vinda da GPL com capacidade de entrar na segunda fase do Mundial e surpreender grandes nomes internacionais.

Vice-campeões da primeira etapa, a Young Generation ocupou o segundo lugar da tabela na fase regular, devido a duas derrotas justamente contra a Marines, e alcançou a final cedendo por 3-0 contra a Gigabyte Adonis Marines. Na segunda etapa, a equipe se encontra no primeiro lugar da fase regular, tendo, na segunda semana de VCS, sido responsável pela única derrota da atual campeã após grande campanha no MSI 2017. A única coisa que separa essa geração de jovens de um possível título da segunda etapa é justamente a capacidade da equipe de repetir o feito da segunda semana na rodada de jogos dos dias 26 a 30 de julho, onde enfrentam novamente a Marines, e em uma possível final contra a equipe de Levi e cia.

Outro nome da VCS que pode surpreender em palco internacional é o do time dos amigos do QTV. A equipe nomeada Friends Forever QTV Gaming – literalmente os melhores amigos do midlaner da equipe, o próprio QTV – ocupa a terceira posição da tabela após uma primeira etapa péssima, onde amargaram a sexta posição. Os amigos do QTV, que já representou a GPL em all-star, à época como toplaner, tem pela frente uma tabela mais fácil que seus concorrentes diretos pelos playoffs, enfrentando os lanterna da competição. O crescimento constante da equipe pode resultar em bons frutos nos playoffs, podendo ser a surpresa dessa VCS.

Favoritas: Gigabyte Adonis Marines e Young Generation
Ficar de olho: Friends Forever QTV Gaming


Malásia – TLC MY – The Legends Circuit Malaysia

Berço da equipe que conseguiu levar sufoco para a Marines na etapa passada, a TLC MY esconde surpresas. Antes de ser parada pela TSM em sua invencibilidade em séries, a Gigabyte Adonis Marines esbarrou em um adversário valioso em uma final antecipada.

Nas semifinais da primeira etapa da GPL, a Kuala Lumpur Hunters, campeã da TLC MY, chegou bem perto de anular a Marines em uma série melhor de 5. Conseguindo abrir uma vantagem de 2 a 0, onde a equipe malaia aplicou extrema pressão, sem dar espaços à agressividade dos campeões vietnamitas, anulando suas estrelas Levi e Optimus, permitindo as duas vitórias com grande rapidez (média de 26 minutos). A “final antecipada” foi um grande choque para a equipe da Malásia. Ao ser derrota de virada, a Kuala Lumpur Hunters assistiu a Marines levantar a taça sem o mínimo esforço contra a Ascension Gaming e ainda amargou a perda do terceiro lugar, por critérios de desempate, para outra fraquíssima equipe, a Mineski.

Injustiçados, os coalas vieram para a segunda etapa com tudo. Liderando a tabela desde a primeira rodada, a Kuala Lumpur Hunters é a franca favorita para o título da TLC MY, com nenhuma outra equipe com chances claras de surpreender. Caso alcancem a final da GPL, a equipe malaia seria uma ótima representante para a Fase de Entrada do Mundial 2017, podendo complicar muito a vida de seus concorrentes.

Favorita: Kuala Lumpur Hunters


Tailândia – TLCS – Thailand League Championship Series

Três vice-campeonatos e um título da GPL, um título de Wildcard e presença em mundial. Mesmo com bom retrospecto regional, os times da TLCS não apresentam bons resultados internacionalmente.

Apesar do título da Ascension Gaming na primeira etapa, o cenário tailandês é dominado há anos pela Bangkok Titans, sete vezes campeã da TLCS. A equipe de Bangkok conseguiu alcançar a final da GPL quatro vezes, todas contra equipes vietnamitas, triunfando em uma e perdendo nas outras três oportunidades. Os titãs ainda conseguiram o título do IWCI da Turquia em 2015, garantiram uma vaga no Mundial do ano e tiveram péssimas atuações, perdendo todas as seis partidas disputadas.

Diversas vezes campeões invictos em sua região, a Bangkok Titans sempre ocupou o topo da tabela da TLCS, tendo o segundo lugar na fase lugar da primeira etapa de 2017 como o seu pior resultado até hoje. Faltando apenas uma rodada de jogos para encerrar a fase regular da segunda etapa de 2017, o panorama não poderia ser diferente: a equipe ocupa a primeira colocação com 11 vitórias e apenas uma derrota, justamente contra a segunda colocada, a SEA Serpents. Caso continuem com os bons resultados, a equipe heptacampeã conseguirá se firmar na primeira colocação e garantir uma vaga direta na grande final da TLCS sem muitos problemas, porém encontrará uma grande ameaça ao título da região.

Atualmente no segundo lugar, a SEA Serpents foi a única equipe capaz de bater a Bangkok Titans na temporada atual. A equipe novata da TLCS conta com nomes conhecidos do público mundial: Emperor, Fixer e Impaler fazem parte do plantel, os dois primeiros como a dupla de botlane e Impaler atuando como técnico dos atuais vice-líderes. A grande esperança da equipe está nos ombros dos consagrados nomes que ela possui, a experiência deles pode ser a peça chave para a SEA Serpents permanecer em segundo lugar ou, contando com um vacilo da Bangkok Titans, assumir a liderança e ser a mais nova campeã da Thailand League Championship Series.

A briga pelo topo da tabela, aliada à experiência de seus jogadores, coloca a Bangkok Titans e SEA Serpents como equipes fortes na luta por uma das vagas da GPL no Mundial 2017. Ambas seriam grandes adições à fase de entrada, sendo a SEA Serpents uma equipe com grande capacidade de surpreender adversários western por contar com peças que já passaram por esse lado do globo.

Favorita: Bangkok Titans
Ficar de olho: SEA Serpents


A fórmula de sucesso da GPL é incerta, porém efetiva.

Em 2017, a representante da região chegou ao MSI invicta em séries desde a criação da equipe meses antes, com um recorde de 38 vitórias e apenas 6 derrotas. A Gigabyte Adonis Marines apenas havia sofrido duas derrotas seguidas quando, na semifinal da primeira etapa GPL, precisou executar um reverse sweep na Kuala Lumpur Hunters, equipe vinda TLC MY (The Legends Circuit Malaysia).

A equipe vietnamita ainda ampliou seu recorde no MSI, garantindo 5 vitórias e apenas uma derrota em seu grupo da Fase de Entrada, encerrando sua invencibilidade em séries MD3 e MD5 dias depois contra a TSM, onde, mesmo quase garantindo um 3-0, sucumbiram e levaram um reverse sweep, terminando a disputa com mais 2 vitórias e 3 derrotas. Ao todo, a equipe sensação conseguiu, até o momento da queda de sua invencibilidade, 40 vitórias e 9 derrotas, mantendo um percentual de vitória acima de 75% desde a primeira partida da equipe, 6 meses antes.

  Jogos Vitórias Derrotas % winrate
VCS Season 27 24 3 88
VCS Playoffs 3 3 0 100
GPL Finals 8 6 2 75
MSI 2017 Fase de Entrada 6 5 1 83
MSI 2017 Round 2 vs TSM 5 2 3 40

No Mundial de 2012, a maior surpresa vinda do sudeste asiático ocorreu. Com um seed direto nas quartas de final devido a um sorteio, a desconhecida Taipei Assassins tinha as melhores equipes do mundo pela sua frente. Vitórias contra as poderosas NaJin Sword, Moscow5 e, na Grande Final a melhor equipe do mundo da época, a poderosíssima Azubu Frost. Os jogadores de Taiwan tinham, antes da disputa do Mundial, um impressionante percentual de vitória de 95% em 65 jogos, com 62 vitórias e apenas 3 derrotas, tudo isso em apenas 7 meses de existência.

  Jogos Vitórias Derrotas % winrate
GPL Opening 4 4 0 100
GPL Season 1 40 38 2 95
GO4LOL PRO ASIA 7 7 0 100
STARSWAR 7 5 4 1 80
IGN IPL5 QUALIFIERS 7 7 0 100
SEASON 2 REGIONAL FINALS – TAIPEI 2 2 0 100

Uma coisa em comum entre as equipes da GPL que obtém sucesso em palco internacional são as altas porcentagens de vitória prévias ao campeonato disputado. Os estilos de jogo podem não ser completamente iguais, mas as equipes vindas do sudeste asiático sempre apresentam excepcional coordenação em time para superar adversidades e surpreender seus adversários. Algumas armas utilizadas pela Marines recentemente mostram que, mesmo com semanas de preparação, grandes equipes do mundo não estão prontas para enfrentar estilos de jogo explosivos e caóticos.

Analisando os potenciais candidatos às vagas da GPL, uma coisa fica clara: a GPL é a região emergente com maior potencial de surpresa. A grande diversidade de regiões fortes que compõem a disputa pelas duas vagas consegue garantir bons representantes tanto na Fase de Entrada quanto na segunda fase do Mundial, baseado em retrospecto e estilo de jogo apresentado, colocando equipes favoritas em cheque.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *