Infiltration volta ao topo do Street Fighter na EVO Japão 2018

Infiltration volta ao topo do Street Fighter na EVO Japão 2018

Autor: Moreno Valério

O ano é de 2016, Street Fighter V está apenas a alguns meses no circuito oficial dos campeonatos dos fighting games. Um nome surge como “aquele que deve ser derrotado”, afinal, após diversos campeonatos, o sul-coreano havia perdido somente dois até então.

Era a primeira vez que víamos os jogos de luta com tamanha atenção da mídia: ESPN transmitira as finais, o que levou até a um palco especial dedicado para o dia das finalíssimas. Infiltration caiu do Winners Side logo na primeira partida, diante de Fuudo, e seu reinado parecia próximo ao fim. No entanto, foi capaz de permanecer e voltar para a final, contra o mesmo jogador que o tinha derrotado antes. Um dos momentos mais clutch da EVO estava acontecendo e Infiltration mostrou domínio legítimo sobre Nash – seu mais vitorioso personagem até então – e ganhou o título da EVO 2016. Não sem ainda comemorar e mandar a famosa frase “Download Complete”, ao ser questionado o que teria mudado para enfim vencer Fuudo.

Infiltration com o troféu da EVO 2016. (Shoryuken)

Após os pouco mais de quatro meses brilhantes de Infiltration, que garantiram o título da EVO e a vaga na Capcom Cup, era esperado que o domínio do asiático continuasse. Pouco se sabe o que exatamente aconteceu, mas após dominar o pódio 8 vezes em 5 meses – do lançamento do jogo à EVO 2016 -, os próximos 18 meses tiverams Infiltration no primeiro lugar em apenas 5 oportunidades. Alguns céticos poderiam acreditar que seria difícil vê-lo bem novamente, afinal, Infiltration já é do time dos trintões e aí entra todo o papo de reflexos e etc.

Após a EVO, nos dois campeonatos seguintes, Infiltration amargurou nada menos que um 13º e um 9º lugar, seus piores posicionamentos desde o lançamento de Street Fighter V. Era hora de deixar seu Nash para trás, não havia mais vitórias com ele, então a procura por um novo personagem começava. Além de ter que se adaptar à mudança no estilo de jogo, que é inerente a cada personagem, o próprio Infiltration precisava se adaptar e conseguir tirar o melhor desses personagens no seu próprio modo de jogo.

A procura foi longa, passou pelo novato Rashid, Karin, Balrog (boxer) e Vega (claw). Essa indecisão chegou ao ponto dele utilizar quatro personagens em um único campeonato. Infiltration procurava mudar e se adaptar para voltar ao topo, mas estava difícil diante de tantas mudanças. Foi somente 7 meses depois do grande campeonato, em fevereiro de 2017, que algo pareceu encaixar. Tratava-se de Juri. Em sua estreia com ela, garantiu uma das poucas vitórias no período de baixa.

O por que estaríamos falando tanto da Juri? Porque foi com ela que Infiltration voltou a estar no topo do cenário. Claro que ele teve uma ajuda de Menat, uma das mais novas personagens da franquia, em alguns momentos, como quando derrotou Daigo, The Beast. (Daigo que parece estar voltando à sua forma, mas isso é assunto para uma próxima). E assim Infiltration venceu a primeira edição da EVO Japão.

O vencedor do primeiro major de Street Fighter V: Arcade Edition (Evojapannews/Reprodução Instagram)

Talvez como uma poesia irônica do destino, podemos entender a relevância da recuperação dele. A primeira edição da EVO Japão estava marcada para 2011, mas a natureza tinha outros planos para a terra do sol nascente. Tsunami e terremotos abalaram o país, causando estragos à população em um dos momentos mais delicados dos últimos tempos japoneses. Por bons anos a ideia de uma edição japonesa do maior torneio de Fighting Games do mundo foi abortada, até ser recuperada em 2016, quase um ano e meio antes de seu acontecimento.

Decerto, tal qual o povo japonês, Infiltration tenha mostrado sua vontade de recuperação e de retornar ao seu lugar devido (claro que guardando as óbvias e devidas proporções aqui). Para ser mais completo que isso, somente se o vencedor fosse um próprio japonês reencontrando seu caminho da vitória (estamos olhando para você, Daigo, que ficou em 3º lugar). Porém, é interessante sim celebrar o acontecimento da EVO Japão após motivos tão trágicos que a adiaram por tempo indeterminado.

E por fim, é mais do que merecido que um campeão da EVO tenha conquistado o primeiro título da edição japonesa. O legado continua a ser levado para novos horizontes e novas gerações, mas sem jamais deixar aqueles que tanto nos inspiraram e elevaram o patamar da competição, fazendo com que o que vemos de muitos profissionais hoje, tenha vindo da vontade de superar aquele nº1.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *