[Atualizado] Inside Info – MSI: Grupos da Fase de Entrada

[Atualizado] Inside Info – MSI: Grupos da Fase de Entrada

A primeira fase do MSI 2017 está chegando, com mudanças em seu formato e (quase) todos os seus participantes definidos. Com início marcado para o dia 28 de abril, a Fase de Entrada, mais novo formato para a primeira fase de torneios internacionais de 2017, contará, em sua primeira parte, com uma disputa entre equipes antes consideradas de regiões “wildcards” (atualmente chamadas de regiões emergentes). Essa mudança garante uma “vaga direta” para todas as equipes wildcards em eventos internacionais e extingue os antigos IWCQ, que garantiam uma vaga em MSIs e Mundiais.

Faltando menos de 10 dias para o início da competição, essa edição do Inside Info apresenta os adversários da fase de grupos da representante brasileira, a RED Canids, e quais serão as maiores ameaças para a matilha vermelha em seu caminho até a fase final. Após o sorteio dos dois grupos para a fase de entrada, foram decididos os seguintes confrontos

Grupo A:

RED Canids:
Representante brasileira, teve grande domínio durante a temporada regular da primeira etapa do CBLoL, mantendo um recorde em séries de 5 vitórias, 1 empate e apenas 1 derrota. Esse domínio se manteve durante a fase final, onde cederam apenas uma partida contra a paiN nas semifinais.

A matilha vermelha chega bem cotada para a primeira fase do MSI. Considerada uma das favoritas do grupo, podendo ser a franca favorita caso mantenha o altíssimo nível de jogo apresentado durante todo o CBLoL.

Dire Wolves:
Após desbancar uma sequência de 4 títulos da Chiefs dentro da liga da Oceania, a alcateia terrível chega com o rótulo de novata: nenhum jogador dos lobos teve grandes experiências em torneios internacionais. Na temporada regular da OPL, a Dire Wolves teve um recorde de 8 vitórias e 2 derrotas em séries.

A falta de experiência e a primeira temporada conturbada que se passou na OPL 2017, com inúmeras complicações entre times da primeira divisão e mais da metade do circuito desafiante sendo banida, coloca a Dire Wolves como underdog e, possivelmente, o candidato mais fraco do grupo.

Rampage:
Big in Japan. Os grandes campeões do Japão superaram nomes já conhecidos do cenário brasileiro, como DayDream, e a Detonation FM, equipe que já representou o Japão 3 vezes em International Wildcards. A equipe nipônica conta com dois jogadores sul-coreanos, o caçador Tussle e o suporte Dara, que têm grande impacto no estilo de jogo do time e são grandes potências dentro da LJL (liga japonesa).

A presença de jogadores estrangeiros, a proximidade com o servidor sul-coreano e o grande tempo de preparo disponível para o MSI (a equipe foi a primeira classificada, garantindo a vaga no dia 1 de abril), podem contar a favor da Rampage, os transformando em uma caixinha de surpresas.

SuperMassive:
Vencedora do IWCQ para o MSI 2016, a equipe turca cravou o título da primeira edição de 2017 da Şampiyonluk (TCL ou Liga Turca).

Possivelmente o time com maior experiência internacional dos dois grupos da Fase de Entrada, a SuperMassive é uma powerhouse em torneios wildcard e, apesar do pouco tempo de preparação até o início do MSI, prometem complicar muito a vida dos adversários e buscar a vaga para o Rio de Janeiro.

Grupo B:

Isurus Gaming:
Começamos pelos nossos vizinhos do servidor latino-americano sul. A Isurus Gaming foi a grande vencedora da primeira temporada da Copa Latinoamérica Sur 2017 (CLS), batendo a equipe da Furious Gaming por 3 a 0 na grande final. A organização argentina, que conta com 5 jogadores chilenos e apenas dois Hermanos, já teve participações em eventos internacionais, sendo a última presença no IWCI (International Wildcard Invitational) de 2016, onde conseguiram apenas a sétima colocação, bem longe de uma classificação para o Mundial daquele ano.

A Isurus Gaming chega ao grupo B com a difícil missão de enfrentar seus vizinhos do servidor latino-americano norte e o representante da fortíssima região CEI (Comunidade dos Estados Independentes)

Lyon Gaming:
Também nossos vizinhos, os representantes da LLN (Liga Latinoamérica Norte) estão muito bem cotados nesse MSI. Com bastante experiência internacional, um jogador de nível altíssimo que sempre surpreende e apenas um jogo perdido em toda a temporada, a Lyon Gaming chega como uma das grandes favoritas do grupo B e até das regiões emergentes para esse MSI.

Após bater na trave em 2016, quando perderam a partida de classificação para o Mundial para a antiga Albus Nox, os leões mexicanos chegam ao seu primeiro MSI com o dever mostrar suas forças e alcançar a liderança do grupo, possivelmente, disputando diretamente a vaga para a fase final.

Marines Esports:
Vinda diretamente do Vietnã, a equipe da Gigabyte Adonis Marines (ou Marines Esports para os mais íntimos) surgiu em dezembro de 2016 e já em sua primeira temporada mostrou bastante força em sua região. Os representantes da GPL contam com veteranos do sudeste asiático como Archie, Optimus e Levi, tendo todos já representado a região em All-stars e os dois primeiros representado em Wildcards anteriores.

A força da equipe dentro da sua porção do globo é tão evidente que, desde o dia 8 de fevereiro, eles estão invictos em séries: 38 partidas jogadas no total, com 33 vitórias e apenas 5 derrotas. Caso eles continuem apresentando bons jogos e mantenham a alta porcentagem de vitórias, a equipe vietnamita pode ser a grande surpresa da fase de entrada do MSI 2017.

Virtus.Pro:
Os representantes da temida região CEI (Comunidade dos Estados Independentes) são os nemesis de Likrit Safadão e Kira VidaLoka. A equipe russa da Virtus.Pro foi a grande campeã da LoL Continental League (LCL), batendo a M19, franca favorita ao título e, possivelmente, equipe mais cotada a vir para o Brasil para a disputa do MSI. Os jogadores da VP conseguiram desbancar a primeira equipe wildcard a se classificar para os playoffs de um Mundial, vencendo-os nas semifinais e avançando para as finais onde conseguiram o título.

A equipe, de origem russa, conta com jogadores russos, um dinamarquês, um ucraniano e um letão (Letônia). O ucraniano, Paranoia, é a grande estrela do time e tem se apresentado de maneira espetacular durante toda a LCL.

Os ursos da VP podem ser considerados os favoritos do grupo, principalmente, por serem originários de uma região mais competitiva que a de seus adversários da primeira fase, mas também por terem batido a equipe mais forte da região e que figurou entre os 8 melhores times do mundo em 2106.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *