Inside Info – Power Ranking CBLOL 2017.1

Inside Info – Power Ranking CBLOL 2017.1

Com o anúncio da lista oficial de integrantes das equipes do CBLOL 2017, o mistério sobre como ficaram as line-ups dos times chegou ao fim. Muitas alterações e algumas surpresas apareceram, e a especulação sobre o desempenho dessas organizações começou com força total.

Com base na performance recente dos times e jogadores, e de critérios como experiência, talento individual, sinergia, balanço entre estrelas e role-players, a equipe do eSports Insider fez um ranking dividindo as equipes do CBLOL em tiers, com o vídeo acima complementando as informações do texto. O uso de tiers tem como objetivo agrupar times que estão no mesmo nível e mostrar de uma maneira mais precisa o nível de força de cada equipe.

Tier S: Nesse tier, incluímos as equipes favoritas a disputar o título e que provavelmente estarão disputando a fase de mata-mata do CBLOL 2017 – Primeira etapa.

27329781714_8304dc4243_oCNB e-Sports club: Os canibais são única equipe sem alterações em seus titulares. O time teve a baixa do treinador Thiago “Djokovic” Maia, mas ainda conta com o melhor jogador do cenário no momento atual. Seguindo a tendência do CBLOL 2016 – Segunda etapa, onde o time chegou à grande final, as expectativas sobre esse plantel se mantém nesse nível, e ainda contamos com o potencial de crescimento individual de alguns jogadores.

Keyd Stars: Sendo efetivamente a primeira line-up galática brasileira, a equipe possui três jogadores que são os melhores em suas respectivas posições, somados a dois que figuram o top 3 de suas roles. O time também conta com, discutivelmente, a melhor comissão técnica da temporada. Seriam Djokovic e o novato no CBLOL Lorenzo Jung as peças faltando no quebra-cabeça da Keyd?

Tier A: O tier A possui equipes que podem bater de frente com os times do grupo acima, mas com alguns pontos de interrogação que os separam do que consideramos a elite das equipes até então. Esses times provavelmente estarão nos playoffs da primeira etapa do CBLOL 2017, e seu favoritismo ao título irá depender da capacidade de seus jogadores preencherem as lacunas que estão faltando em seu jogo.

19867442756_dbe335ef64_opaiN Gaming: Possivelmente a primeira organização brasileira a explorar mais de dois reservas em um mesmo split, a paiN não tem apenas cinco bons jogadores como titulares, mas também um banco de reservas respeitável. Tendo como principal alteração em relação à 2016 a bot lane composta por Pedro “Matukaze” Gama e Caio “Loop” Almeida, a performance da dupla poderá refletir diretamente no desempenho do time como um todo.

RED Canids: A união de jogadores experientes, incluindo três campeões de CBLOL e participantes de campeonatos mundiais, com players jovens e com potencial de desenvolvimento é a fórmula escolhida pela RED para o início de 2017. Com base nas atuações de Leonardo “Robo” Souza, Carlos “Nappon” Rücker e do recém anunciado Gabriel “tockers” Claumann no último split de 2016, é de se esperar que esse seja um time que alcance os playoffs. Entretanto dois fatores irão definir o real desempenho desse time: a performance de brTT e Dioud, que se reencontram depois de um ano, e a capacidade desse time desenvolver boa sinergia e trabalho em equipe. A adição tardia de tockers rendeu até um vídeo especial nosso, que você confere aqui.

Tier B: Para mostrar a enorme diferença entre os quatro melhores times do ranking e os quatro da parte de baixo da tabela, decidimos deixar o tier B vazio. É importante lembrar que a queda de times dos tiers A e S e a ascensão de times dos tiers C e D para esse grupo com o desenrolar do CBLOL é bastante provável.

Tier C: Com muitas falhas e pontos fracos e algumas características positivas para compensar, os times do tier C provavelmente irão contestar o quinto lugar e a permanência para a segunda etapa do CBLOL 2017. Porém, não seria surpresa se uma dessas equipes beliscasse uma vaga nos playoffs caso algum dos considerados superiores pelo nosso ranking não alcance as expectativas que criamos.

29979981336_7768d653e3_oINTZ e-Sports Club: Após perder o trio composto por Yang, Revolta e tockers, as peças de reposição dos intrépidos definitivamente não estão à altura da sua line-up antiga. Entretanto, a longa experiência de Micael “micaO” Rodrigues e Luan “Jockster” Cardoso em conjunto com o potencial do novato Bruno “Envy” Farias, somados à Ayel e Turtle, faz com que essa equipe tenha uma pequena base já existente somado a um possível crescimento de acordo com o desempenho individual dos jogadores.

Remo BRAVE: Vinda do circuito desafiante, o time não possui jogadores renomados nem grandes promessas. Porém, a sua sinergia construída desde o mês de Abril os coloca um passo a frente do tier D.

Tier D: As equipes que estão nesse tier são as que tem a menor quantidade de pontos quando se considera talento individual, sinergia e experiência. Esses times terão o CBLOL como uma grande prova e usarão a primeira etapa para se consolidar e defender seu slot para o segundo split de 2017.

14976840_369063926761592_3643309702169290460_oOperation Kino: O time está um pequeno passo a frente por ter formado sua nova line-up em Novembro e ter jogado toda a off-season junta. Porém, isso não compensa a falta de talento individual e jogadores que podem carregar uma partida. Entretanto, não podemos esquecer da história dessa organização, que teve grande impacto no CBLOL com line-ups com poucas expectativas e muito trabalho em equipe.

KaBuM!IDM: Assim como a OPK, o time tem a sinergia já existente com o trio Zantins-Danagorn-Vash, que competiu pela KaBuM eSports na sua temporada de despedida do CBLOL. Entretanto, a adição de Marcelo “Riyev” e Renato “TheFoxz” de Souza, dois downgrades quando comparados à Matsukaze e Ziriguidum, faz com que as nossas expectativas sejam piores do que o quinto lugar da antiga KBM no último split de 2016.

No fim das contas, o objetivo de tier lists é apimentar e aprofundar a discussão sobre times em um determinado campeonato ou região, e é provável que nossas previsões hoje não irão condizer perfeitamente com o que irá acontecer ao final da primeira etapa do CBLOL 2017.

Essas listas são importantes para criar um ponto inicial de nossas expectativas e facilita o trabalho de análise e recomendamos que você, leitor (a), também faça uma como exercício. Escreva em uma página de caderno ou aqui mesmo nos comentários, e compare a sua lista com o que acontecer durante a temporada. O que causou a diferença entre o que você esperava e o ocorrido? Falta de experiência em seu julgamento? Algum time teve uma performance surpreendente? Esse tipo de análise é muito interessante e excelente para avaliar seu conhecimento sobre determinada região ou campeonato.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *