Inside the draft – Entenda a composição da paiN Gaming

Inside the draft – Entenda a composição da paiN Gaming

A mudança no sistema de draft estimulou a aparição de novos campeões em ligas ao redor do mundo, e é claro que não foi diferente no Brasil. Na série de abertura do CBLOL, a paiN Gaming surpreendeu a Keyd Stars com a escolha de Xerath e uma composição muito interessante. A combinação da “geladeira” e champions bastante populares no meta resultou em uma line-up com interações únicas podendo ser o início de uma tendência mundial.

Entendendo a composição da paiN Gaming:

Composta por picks comuns, foi a escolha da geladeira que deu um brilho extra à cozinha planejada pela paiN:

31628837803_1877d57f1b_o

Maokai: atualmente é o campeão mais popular entre top laners com uma taxa de vitória de 60%. Ele oferece resistência, capacidade de dar peel e compor a linha de frente da composição. Acredito que esse pick possa ser adaptável de acordo com match-ups e pelo draft sem muitas dificuldades.

Lee Sin: sua alta resistência e capacidade de peel o torna perfeito para essa team comp. Uma possível substituta é a Rek’Sai que pode proteger a backline de maneira eficiente e identificar tentativas de flanco com o tremor sense.

Xerath: como disse antes, é o pick que torna essa composição especial. Não consigo pensar em um campeão que cumpra as mesmas funções sem mudar as características e necessidades da line-up a ser montada.

Jhin: na minha opinião, ele é o habilitador dessa composição. A combinação de seu ultimate com o de Xerath que permite que seu time consiga eliminar oponentes à longa distância e converter esses abates em objetivos logo em seguida.

Miss fortune: no caso específico de Keyd Stars vs paiN Gaming, ela foi a cereja do bolo. Inicialmente escolhida para anular a Zyra de Ziriguidum, o pick evoluiu pois sua sinergia com Jhin é muito grande visto que suas habilidades de longo alcance habilitam o snare no Florecer Mortal de seu AD Carry com facilidade. Se não fosse o bastante, o dano da ultimate da campeã complementa as habilidades de Jhin e Xerath resultando na garantia de kills.

Como funciona essa geladeira?

Como foi dito anteriormente, a chave é a combinação das ultimates de Miss Fortune, Jhin e Xerath enquanto Maokai e Lee Sin servem de guarda-costas para o trio impedindo que o time inimigo tente cancelar as habilidades ou assassinar os causadores de dano. Planejando adequadamente onde e quando usar esse combo, a execução correta será convertida em um objetivo sem contestação. Entretanto, para isso acontecer, é necessário que o shotcaller do time esteja ciente de quais são os objetivos mais importantes no mapa e que os causadores de dano sejam precisos em seu posicionamento e uso de skillshots. Se a geladeira PNG XRTH 2017 viesse com um manual, ele seria composto por cinco itens:

  1. Definição do objetivo a ser conquistado;
  2. Preparação das waves de minions nas três lanes de acordo com o objetivo definido;
  3. Controle de visão na região do objetivo definido;
  4. Execução do combo;
  5. Conquista do objetivo.

O defeito de fábrica:

32443315325_cbd007f190_o

Assim como qualquer outra, essa composição possui pontos fracos que podem ser corrigidos de acordo com a situação do jogo. A falta de mobilidade extra em dois dos três causadores de dano faz com que essa line-up seja extremamente vulnerável à flancos e ataques em sua retaguarda. Investidas feitas com teleport e iniciadores em ângulos não-convencionais são os maiores inimigos desse tipo de campeão.

Esse defeito de fábrica pode ser corrigido com controle de visão adequado e através da compra de control wards para limpar sentinelas para impedir o uso de teleport do time inimigo. Pode parecer algo simples de se resolver, porém essa tarefa é extremamente difícil dependendo do nível de força dos times, do esforço dos jogadores em manter um bom controle de visão e da capacidade do time inimigo de achar alternativas para criar ataques surpresa.

Keyd Stars vs paiN Gaming:

Falamos bastante da composição porém ainda não analisamos o que aconteceu na partida ou sobre as ações da Keyd durante o jogo. Para entender por completo, precisamos levar em conta dois fatores. O primeiro é o fato que a Keyd não estava preparada para o pick de Xerath, dando à paiN uma grande vantagem e o segundo é a composiçăo da Keyd que tem uma grande dificuldade em explorar as fraquezas da paiN:

  • Rumble: o campeão tem a capacidade de iniciar fights à longa distância e o equalizador pode ser usado para punir os carries durante suas ultimates, quando eles precisam ficar imóveis para causar dano. Entretanto, é ideal que ele tenha alguma forma de setup ou várias opções de follow-up para o equalizador, o que não foi o caso nessa partida.
  • Kha’Zix: esse é o único campeão que se encaixa perfeitamente nas necessidades da Keyd para essa partida. A sua mobilidade permite atacar a backline com facilidade, permitindo que a Keyd conseguisse interromper a execução da comp da paiN.
  • Cassiopeia: sua falta de mobilidade somada à incapacidade de alcançar o trio composto por Xerath, Jhin e Miss Fortune faz com que ela não seja apenas um alvo fácil dos ultimates, mas também dependente de outros para poder participar de uma luta.
  • Varus: assim como a Cassiopeia, o campeão pode ser um alvo fácil pela sua falta de mobilidade. Porém, em alguns momentos do jogo, vimos o jogador André “esA” Pavezi utilizar o campeão como iniciador. O uso incomum e criativo rsultou na fight que garantiu o barão para a Keyd e manteve o time estrelado vivo no jogo por mais tempo.
  • Zyra: a campeã sofre dos mesmos problemas da Cassiopeia com o agravante que supports normalmente tem menos atributos defensivos pela sua falta de nível e ouro para comprar itens. Entretanto, Pedro “Ziriguidum” Vilarinho acompanhou seu AD Carry na fight onde a Keyd conseguiu surprender a paiN e conquistar o baron. Porém, as oito mortes do jogador na partida mostraram como a campeã é vulnerável e ineficiente contra a composição da paiN.

Em maior parte do jogo, a Keyd se posicionou de maneira defensiva em torno de torres e objetivos, porém a paiN usava essa informação para se posicionar em ângulos onde eles poderiam assassinar os jogadores da Keyd em posições onde a KST não tinha alcance em suas habilidades nem posicionamento de seus jogadores para poder responder. Essas situações resultaram na paiN criando uma enorme vantagem de ouro facilitando cada vez mais a tomada de objetivos no mid e late game. A vantagem de ouro se expandiu tão rapidamente que parecia impossível para a Keyd achar uma situação onde eles poderiam alcançar os jogadores da paiN sem perder uma grande quantidade de HP no processo.

O que a Keyd poderia ter feito diferente?

31630947653_339c34b706_o

É difícil se preparar para picks específicos como Xerath e mais ainda uma composição com interações tão únicas. Os jogadores normalmente usam smurfs e contas desconhecidas para treinar esse tipo de campeão e evitam usar composições com parceiros de treino pouco confiáveis, dessa forma esse tipo de informação se mantém em segredo até o time dar lock-in em sua escolha e causar a surpresa no público, casters e integrantes do time adversário. Ainda assim, acredito que a Keyd poderia ter feito alguns ajustes para tornar essa partida mais parelha.

No primeiro jogo, o time teve grande dificuldade por causa do match-up na mid lane. Jogando no lado vermelho, o time não usou o recurso do último pick para o capitão Murilo “takeshi” Alves, cedendo a escolha para o top laner Felipe “Yang” Zhao e seu Rumble para fechar o draft. Usar esse recurso para o mid poderia ter impedido a paiN de escolher Xerath ou ao menos dar um campeão mais adequado para takeshi

É difícil se recuperar do early game que a Keyd Stars teve, porém o time conseguiu criar situações onde eles iniciaram lutas pegando a paiN de surpresa. Assassinando o time de Kami durante os primeiros passos da execução de sua comp, takeshi&cia foram capazes de pegar o único barão da partida após uma luta muito bem executada. Entretanto, o time voltou a jogar de maneira passiva e deixou de executar flancos quando o buff do barão expirou, permitindo que a paiN conseguisse objetivos sem contestação e fechasse o jogo com certa tranquilidade.

É difícil exigir um nível de adaptação tão alto na primeira semana de CBLOL, porém a expectativa que os fãs, a comunidade e os próprios integrantes da Keyd Stars são altas e provavelmente não foram alcançadas nessa partida contra a paiN Gaming.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *