Inside The Draft – KaBuM vs Cloud 9

Inside The Draft – KaBuM vs Cloud 9

Até os fãs mais otimistas sabiam que a KaBuM não teria vida fácil contra a Cloud 9. O terceiro seed do NALCS tem veteranos renomados e novatos promissores em seu plantel. Ainda assim, alguns torcedores colocaram a derrota brasileira na conta do coreano Hiro. Quem entende de competitivo sabe que as coisas não são tão simples e que é preciso analisar cada detalhe antes de tomar um veredito.

Primeira fase de banimentos:

Durante a etapa inicial, a Cloud 9 decidiu remover os seguintes campeões:

  • Vel’Koz: o olho do vazio ganhou muita popularidade após a descoberta da build baseada no Aprimoramento Glacial. Além de ser uma opção flexível para a KaBuM;
  • Shen: especialista em punir o excesso de agressividade, característica marcante do jogo de Blaber;
  • Akali: um dos picks mais fortes no metagame atual. Os norte-americanos também a baniram contra a DetonatioN FocusMe.

Já a estratégia da KaBuM foi um pouco diferente:

  • Camille: um dos champions favoritos de Blaber;
  • Alistar: o melhor support desse patch, além de estar na zona de conforto de Zeyzal;
  • Kindred: uma das caçadoras mais fortes do meta, muito utilizada pela C9.

Nessa etapa, a C9 queria limitar as chances de ser surpreendida enquanto a KBM tentou deixar Blaber e Zeyzal desconfortáveis. Depois disso, chegou a hora de cada equipe fazer suas escolhas.

Cloud 9 – Seguindo o padrão do metagame:

Os champions selecionados pela Cloud 9 não são nenhuma surpresa. O coreano Reapered optou por personagens de alta prioridade em suas respectivas posições. O trio de Kai’sa, Aatrox e Xin Zhao denunciou as intenções do time norte-americano jogar de maneira proativa e a possibilidade da formação 1-3-1. Além disso, a flexibilidade da Espada de Darkin forçou a KaBuM a guardar o último pick para a rota do meio.

Llicorice e Reapered se divertem após a vitória contra a KaBuM
A serenidade no olhar de quem pode jogar de Aatrox no mundial.

KaBuM – Abusando de counter picks:

A tática adotada por Hiro é muito comum no Red Side. O treinador abriu o draft com Urgot, que pode ser pego às cegas sem nenhuma forma de punição. Em seguida, suas decisões foram baseadas nos movimentos da Cloud 9: Lucian é um dos poucos atiradores capazes de contestar a Kai’Sa na rota inferior e o Olaf, preparado para enfrentar o Xin Zhao na selva.

Segundo estágio de banimentos:

Esses foram os vetos da C9 na terceira fase do draft:

  • Irellia: forte contra Ryze e outros control mages;
  • Braum: o personagem mais usado por Riyev nesse ano, além de sua sinergia com o Lucian de TitaN.

Já a KaBuM tomou as seguintes decisões:

Reapered já era conhecido pelo seu conhecimento de jogo quando era jogador.
Reapered já era conhecido pelo seu conhecimento de jogo quando era jogador.

As últimas escolhas:

O início dos picks & bans foi relativamente previsível e as surpresas ficaram para o final. Riyev estreou seu Pyke e Dynquedo jogou de Viktor pela primeira vez em 2018. No lado da Cloud 9, Jensen escolheu o famoso Ryze e Zeyzal decidiu jogar de Leona.

Afinal, quem ganhou o draft?

Atribuir a derrota da KaBuM ao draft seria, ao mesmo tempo, uma mentira e um exagero. Entretanto, precisamos admitir que a Cloud 9 conseguiu vantagens consideráveis. Eles garantiram campeões de alta prioridade em praticamente todas as roles e montaram uma composição poderosa. Já os brasileiros começaram bem, porém o Pyke não teve seu efeito esperado. Além de tirar Riyev de sua zona de conforto, a C9 estava pronta para anulá-lo e dominar o bot. Ao meu ver, Hiro fez um bom papel, mas Reapered foi simplesmente superior.

A Cloud 9 controlou a KaBuM e venceu com tranquilidade
A Cloud 9 controlou a KaBuM e venceu com tranquilidade

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *