Inside the Draft: paiN Gaming na Superliga ABCDE

Inside the Draft: paiN Gaming na Superliga ABCDE

A existência de interações especiais entre personagens de League of Legends não me agrada e nunca me agradou. Sabendo disso, você deve imaginar que a minha reação ao lançamento de Xayah e Rakan não foi nada positiva.

Mas não se deixe enganar, esse post não é apenas meu muro das lamentações. Aqui você também vai ver uma breve análise dos drafts da paiN Gaming na Superliga ABCDE. Além da minha raiva, o duo do amor cria situações únicas durante a fase de picks & bans. Com o intuito de separar o casal, muitos times se sentem obrigados a banir ou escolher um deles após ver um dos amantes selecionado por seus adversários.

Em um meta onde Xayah e Rakan estão em alta, a capacidade de jogar com ambos traz grandes vantagens durante o draft e também dentro da Summoner’s Rift. Entretanto, a paiN Gaming não parece ter essa arma em seu arsenal. Ao longo da Superliga, várias decisões comprovam esse buraco no leque de estratégias da equipe.

A Xayah de Matsukaze:

A rebelde foi uma campeã muito contestada nos jogos da paiN no início do campeonato. Nas duas primeiras semanas, ela absorveu três banimentos e foi escolhida uma vez pela equipe rubro-negra.

Já na terceira semana, as coisas mudaram. Na primeira partida contra a Ilha da Macacada, a PNG deixou para escolher seu atirador na segunda fase e viu a rebelde ser banida pela IDM. No mapa decisivo, o time comandado por Djoko optou pelo blind pick de Lucian e deixou a rebelde de lado.

Na série de dois jogos contra a Redemption eSports POA, cada mapa contou uma história diferente. Na primeira partida, Matsukaze selecionou a Xayah na primeira fase de escolhas. No último e derradeiro jogo, o atirador surpreendeu com a escolha de Ashe no início do draft.

No geral, podemos dizer que o AD Carry da paiN Gaming está confortável com a Xayah e o restante da equipe parece estar bastante familiarizada com a campeã.

A ausência do Rakan:

O charmoso Rakan é uma escolha de baixíssima prioridade para a paiN Gaming. O novato Nano não utilizou o campeão em nenhuma das oito partidas disputadas da Superliga. Além disso, Djoko baniu o campeão somente uma vez, demonstrando que não está preocupado em enfrenta-lo.

A misteriosa Leona de Nano:

O que a Leona tem a ver com o duo do amor? Se levarmos em conta que ela a escolha mais comum para anular o Rakan, tudo. Até aqui, a campeã acumulou dois banimentos (ambos feitos por equipes que já tinham selecionado o Rakan) e seis escolhas.
A Alvorada Radiante geralmente é pickada após o Rakan, com o intuito de utilizar o counter pick para garantir a vantagem na rota inferior. Porém a paiN Gaming quebrou essa tendência ao escolhê-la às cegas contra a Redemption. Essa manobra tem uma mensagem clara: eles não queriam jogar contra o duo do amor e estavam dispostos a sacrificar a Leona (que é anulada por outros suportes) para garantir isso.

A paiN não joga com o duo do amor, e daí?

Eu preciso admitir: nenhum time é capaz de ter uma Champion pool perfeitamente adequada à um determinado patch. É natural deixar alguns campeões de lado, mas não poder abusar da sinergia de Xayah e Rakan limita consideravelmente as opções da paiN durante o draft.

Apesar disso, o patch 8.23 já está ativo e a presença de magos como Karthus e Vel’Koz na rota inferior podem mudar totalmente a dinâmica das escolhas nessa lane. Com isso em mente, é difícil mensurar o impacto dessa deficiência da paiN em partidas futuras.

Vale lembrar que, caso o duo do amor se mantenha relevante, esse ponto fraco poderá ser explorado na última semana e na fase de mata-mata da Superliga ABCDE.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *