NACS: A nova galinha de ouro do League of Legends

NACS: A nova galinha de ouro do League of Legends

Imagem via Gamepedia

Ontem aconteceu a final da Challenger Series norte americana. Além dos prêmios de 10 e 7 mil dólares para os dois primeiros colocados, ambos vão poder disputar da Promotion Series da LCS NA para tentar ingressar no maior campeonato de LoL do continente.

Os dois times que disputaram essa final já são bem conhecidos da galera: a Team Liquid está no LoL desde o início do competitivo, e seu time Academy veio com Moon, Goldenglue, Piglet, Solo e Stunt, enquanto que os bicampeões da LCS NA, Cloud 9, chegaram com um time Challenger composto por Balls, Rush, Hai, Altec e Lemonation.

Alguns nomes dessa final são bem familiares, né? No total, 7 dos 10 jogadores possuem mais de 10 jogos na LCS, sendo um deles um campeão mundial. Segmentando mais, Balls, Rush, Hai, Altec e Piglet disputavam a LCS na etapa passada, e agora integram seus respectivos times na Challenger Series. Não existe nada de novo em players consagrados que vão tentar a chance no Challenger após a substituição para jogadores mais novos, mas quando uma Cloud 9 ou Team Liquid financiam times “invencíveis”, a gente tem que olhar com mais cuidado a situação.

As despesas de uma organização como a Cloud 9 para manter um time B giram em torno de 150 mil dolares, já que contempla os salários de 5 ex-jogadores de LCS, mas sua vaga na Promotion Series é praticamente garantida, e isso vale bem mais do que o valor acima. Diversos times novos, com investidores grandes por trás (Immortals, NRG e Echo Fox, os três têm capital da NBA envolvido), pagam até um milhão de dólares para ingressar no topo do competitivo, e esse interesse acaba formando um mercadinho de times consolidados que farmam vagas para vendê-las a terceiros.

Essa prática destrói um pouco a imagem da Challenger Series como “o campo de batalha de jogadores amadores para conquistarem o sonho de jogar profissionalmente”, mas não é uma prática ilegal, e é algo até difícil da Riot tentar legislar sobre, se começar a ser abusado. Não dá para proibir ex-LCS de participar das ligas mais baixas, eles têm o direito de tentar uma vaga com a organização que eles quiserem, e as já consolidadas com certeza oferecem mais segurança a eles.

Estender a regra de equipes irmãs para a Challener Series também não vai resolver o problema, apenas vai fazer com que algumas organizações se “especializem” em farmar vagas. Enquanto uns estiverem pagando, outros vão procurar os caminhos mais curtos para receber esse dinheiro.

E se engana quem acha que isso está longe demais da gente: desde o split passado já tem rumor de algumas organizações grandes daqui querendo praticar o mesmo. A única dificuldade de se aplicar essa prática aqui é que mesmo que haja muitos jogadores excelentes no nosso desafiante, é complicado garantir uma vaga só com eles. A temporada atual foi a primeira em que um jogador de grande destaque deu lugar a um com menos conquistas, como foi o caso brtT e TaeYeon, e ainda vai mais um tempo até isso acontecer com um número suficiente de players “confiáveis”.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *