NiKo e FaZe Clan: a caminho do topo

NiKo e FaZe Clan: a caminho do topo

(Helena Kristiansson/ESL)

Os incontáveis problemas técnicos durante a stream dessa ESL One New York 2017 são completamente irrelevantes, se levarmos em conta o espetáculo que recebemos de alguns times nesse final de semana. A FaZe conquistou o seu primeiro campeonato desde a reformulação do time, que contou com a chegada das estrelas Guardian (ex-Na’Vi) e Olofmeister (ex-Fnatic).

Há quem questione o mérito desse campeonato com a desculpa de que os galáticos enfrentaram dois times norte americanos nas finais, Cloud9 e Liquid respectivamente. Os americanos não chegaram nas finais somente pela incapacidade dos seus adversários. Liquid venceu de forma convincente os brasileiros da SK Gaming, com boa leitura de jogo e um desempenho fenomenal de JDM na série, além do jovem Twistzz durante campeonato inteiro. A Liquid vem de ótimos resultados, batendo times que estão no topo do ranking e jogando de forma bem estruturada. E é por isso que a vitória por 3-0 da FaZe nas finais é um feito ainda mais impressionante.

Mas, se as pessoas ainda tem dúvidas do que esse time é capaz de fazer, vamos olhar alguns números. Os campeões dessa edição da ESL One New York 2017 voltaram pra casa invictos. Foram 7 mapas jogados e 7 vitórias. A equipe liderada por Karrigan perdeu apenas 39 rounds durante o evento, com resultados intimidantes como 16-5, 16-6, 16-3, 16-4 em cima de Astralis, Virtus Pro e Cloud9.

Não é o suficiente? Todos os cinco jogadores da Faze ficaram entre os 9 melhores do campeonato. NiKo, que foi eleito o melhor jogador do torneio, terminou com um K/D impressionante de 2.42 e Rating da HLTV de 1.70. Sua perfomance impactou a equipe de diversas maneiras, onde até as finais, a FaZe havia vencido 100% dos rounds quando NiKo conquistava a primeira kill, demonstrando como karrigan sabe lidar bem com a vantagem numérica e o impacto que NiKo tem nos rounds quando consegue ficar vivo até o final. Rain foi o segundo melhor, com 1.75 de K/D e Rating 1.61. Guardian, Olofmeister e Karrigan não estão distantes, e protagonizaram jogadas incríveis durante todo o torneio. Esse time foi impecável o torneio todo.

Mas o resultado da Faze e o desempenho monstruoso de NiKo possuem algo em comum que mostra o verdadeiro perigo desse time: o desejo e a busca pelo topo do mundo. Quem acompanhava já sabia que NiKo estava na estrada para ser um dos melhores jogadores do mundo quando ainda brigava para conseguir resultados com a mousesports. A estrela solitária daquele time bem que tentou carregá-los montanha acima, mas o peso era grande demais. Nem por isso NiKo desanimou e continuou aperfeiçoando suas skills, até que, finalmente, a oportunidade de jogar por um time competitivo e vencedor chegou com uma oferta da FaZe.

(Galeria/HLTV)

A própria FaZe é um time obcecado pela vitória e pelo resultado. A prova disso não é só no investimento que a organização fez em sua equipe, mas a forma como ele ocorreu. Torcedores, analistas e até profissionais criticaram a saída de allu e kioshima, especialmente porque a FaZe estava obtendo ótimos resultados com os dois. É verdade que eles perderam alguns torneios contra a SK Gaming, mas o único resultado RUIM de fato, foi a saída prematura durante a fase de grupos no último Major. Mas essa é a diferença de um time cuja a mentalidade é ser o melhor e não apenas um dos melhores. A mentalidade de não se contentar com o bom e querer o ótimo.

Não foi apenas o resultado no Major que fez a FaZe optar por mudanças. No fundo, acredito que a incapacidade de vencer a SK Gaming, considerada na época (e até hoje possivelmente) a melhor equipe do mundo, motivou as mudanças na equipe. O raciocínio é simples: se eu não consigo ganhar do melhor do mundo, então ainda não está bom o suficiente para mim. Esse tipo de fome é o que dá força para jogadores como NiKo e organizações como a FaZe Clan. Olofmeister e Guardian reencontraram essa fome nessa nova organização, que sob a liderança de um jogador obstinado, como Karrigan, tem o necessário para conquistar o mundo. O primeiro passo, em Nova Iorque, já foi dado.

Só há um outro jogador no cenário que, na minha opinião, tem tanto desejo de ser o melhor e continuar no topo o máximo que puder: coldzera. O brasileiro é um dos jogadores mais “competitivos” no CS:GO. Discutivelmente o melhor jogador do mundo, com prêmios e títulos debaixo de seu braço, cold nunca se contentou ou se conformou com seu desempenho. Constantemente, o brasileiro aprimora seu próprio jogo, sempre colocando números absurdos em suas estatísticas e dedicando horas e horas de compromisso e trabalho duro para continuar no topo. É essa mentalidade que coldzera e NiKo compartilham. É essa mentalidade que molda vencedores e não somente bons jogadores. Às vezes pode não ser justo, pode ser estressante, pode ser exaustivo, mas é definitivamente recompensador.

É cedo para dizer se os galáticos vão ser os dominantes do cenário nos próximos meses, afinal, a FaZe ainda precisa mostrar que consegue superar obstáculos como SK Gaming, G2 e North. Mas isso vai acontecer no seu devido tempo. O que podemos concluir, por ora, é que esse time tem a cabeça, as peças e, principalmente, o desejo de serem os melhores do mundo.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *