O que esperar da ESL Belo Horizonte 2018

O que esperar da ESL Belo Horizonte 2018

A vinda de mais um campeonato da ESL em terras tupiniquim é mais um indício para fomentar nossas esperanças de hospedarmos o próximo Major, ainda mais se a organização e torcida jogarem bem as suas cartas. A ESL Belo Horizonte 2018 começa amanhã e esses próximos dias servirão como um termômetro do que devemos esperar de alguns times, em especial os brasileiros, para esse próximo semestre de CS:GO.

Os oito times participantes foram dividos em dois grupos. O grupo A é composto pelos favoritos, FaZe Clan e SK Gaming, além de Space Soldiers de Xantares e Ghost de steel. No grupo B tempos a presença da BIG, mousesports, Liquid e os brasileiros da Não Tem Como. Apenas dois de cada grupo passam para os playoffs que se iniciam no final de semana, e como não podia deixar de ser, vamos colocar ponto a ponto os favoritos a levantarem o caneco em Belo Horizonte.

Grupo A

FaZe Clan – Com altos e baixos desde a saída temporária de olofmeister, a equipe internacional conta com cromen para substituir os sapatos enormes do sueco na busca de um título, que amenizará a pressão imensa da line-up, cuja confiança fora abalada desde que o time da Astralis começou a mostrar quem são os verdadeiros #1 do mundo. É claro que esse torneio, que não conta com a presença de outros grandes times, não vai ser o suficiente para provar aos fãs de que eles são realmente a força a serem batida, mas já é um bom recomeço.

E para que isso seja possível, NiKo e rain vão precisar voltar a mostrar as perfomances monstruosas que já estamos acostumados a ver. A equipe liderada por karrigan ainda sofre pela ausência de olofmeister e a presença constante de um stand-in, mas sua leitura rápida de jogo aliada com um enorme poder de fogo apoiado pelas situações de clutch de Guardian, fazem com que a FaZe sejam os favoritos torneio… mas não tanto quanto fora num passado não tão distante.

SK Gaming – A essa altura do campeonato, já podemos nos referir aos brasileiros da SK Gaming como mibr? Já está bem escancarado nas redes sociais de que a atual line up está prestes a reviver um nome cuja as glórias do passado ainda ressoam nas cabeças de todo torcedor da era Counter-Strike 1.6. A equipe que, por ironia, não é inteiramente mais made in brazil, entra nesse torneio com mais dúvidas do que certezas. Após um primeiro semestre complicado, com resultados mistos e a saída de um dos jogadores mais carismáticos da line, a equipe de coldzera entra com a tarefa de mostrar para nós de que essa renovação é muito mais do que apenas na organização. Se tratando de um campeonato sem tantos nomes assustadores, a SK Gaming tem o necessário para pelo menos classificar como a 2ª colocada do grupo, e então ser carregada pela vibração dos torcedores de BH até as finais.

O animo do time pode estar renovado pela última conquista no Moche XL Esports, onde bateram times como Gambit e HellRaisers. Essa é a oportunidade perfeita para que Stewie2K mostre que já está se habituando com o estilo de jogo brasileiro. Ao mesmo tempo, uma saída na fase de grupos pode vir a matar todo o momento dos últimos dias e botar mais pressão por resultados, mesmo no primeiro dia em que vestirem a camisa da mibr.

Space Soldiers – Depois de uma perfomance boa no último Major, parece que é finalmente a hora de MAJ3R e companhia mostrar que não estão apenas de passagem e que vieram para ficar entre os melhores. Durante a WESG, o time provou que consegue bater de frente com times de expressão como fnatic. Mas XANTARES terá uma batalha dura pela frente para sequer sair da fase de grupos, seja SK Gaming ou FaZe Clan, os turcos precisam roubar uma vitória dos favoritos para chegar ao sonho dos playoffs.

Ghost – Claramente o underdog do grupo, a equipe da Ghost pode não ter nenhum ponto que a favoreça para conseguir roubar uma vaga nos playoffs, mas eles tem o potencial de causar um “upset”. Jogadores como Subroza e Wardell já surpreenderam muitos jogadores internacionais durante as partidas regulares da ESL Pro League no passado, inclusive sendo acusados de cheaters. Verdade ou não, eles são responsáveis por muitos xingamentos do outro lado do monitor, inclusive por brasileiros da SK Gaming e a Ex-Immortals. Com apoio do veterano steel, Ghost é um time que deve ser batido, mas não menosprezado.

Grupo B

Liquid – Desde a chegada de Taco, a equipe da Liquid começou a colecionar alguns resultados mais positivos. Marcando presença em duas finais dos últimos três torneios, ambos eliminados pela Astralis, Nitro e seus companheiros terão uma briga intensa com um grupo menos previsível e mais disputado em busca dos playoffs. Taco não foi necessariamente a peça que faltava para Liquid começar a levantar troféus, mas podem começar mostrando que o futuro é promissor ao chegar em mais uma final. Carismático como é, TACO com certeza motivará muitos a torcerem pela Liquid, algo essencial para um jogador que impacta muito na partida quando se sente confiante.

mousesports – Infelizmente, um dos jogadores mais divertidos de se assistir por suas jogadas incríveis não estará presente em Belo Horizonte nessa semana. O awper oskar não poderá comparecer ao torneio e em seu lugar teremos n0thing, ex-jogador pela Cloud9 e analista em últimos eventos de CS:GO. O time liderado por chrisJ tem tido muitas dificuldades de passar para as finais nos últimos torneios disputados, e a presença de um stand-in pode complicar ainda mais a chance de uma vaga nos playoffs. Mas é nesses momentos que um time consegue demonstrar o quão grande eles são, já que conseguir adaptar um jogador de última hora é uma habilidade que poucos IGL possuem. Será que a mousesports finalmente vai sair dos degraus do 3-4º lugar?

BIG – Muito criticada por atitudes no passado e pelo fraco desempenho depois do Major realizado pela PGL, o time alemão também apostou numa diversificação recente em sua line com a chegada do AWPer britânico, smooya, o que pode impactar a comunicação do time. Os últimos resultados do time não tem sido nada empolgantes, perdendo para organizações pequenas ou sem tradição. Para os alemães, só uma coisa interessa em BH: “Go BIG, or go home”.

Não Tem Como (NTC) – E finalmente chegamos aos brasileiros do Grupo B, composto por figuras que abalaram o cenário profissional de CS:GO nos últimos tempos, proporcionando mais polêmica do que resultados. Mas depois de uma reviravolta de pessoas e times, parece que essa line veio para ficar. A equipe comandada por bit, conta com a experiência vasta de fnx para ajuda-lo a controlar um time que possui um emocional muito forte, que já foi o fator principal para serem vitoriosos no passado. Empurrados por uma plateia brasileira, a NTC virá com muita força para roubar uma vaga suada e sofrida de Liquid ou mousesports.

A ESL Belo Horizonte 2018 não é um campeonato com os maiores times atuais, mas pode ser um dos torneios mais disputados do ano até agora. Em um cenário que não contará com a presença do melhor time do mundo atualmente (Astralis), tudo pode acontecer.

O espetáculo está garantido, se não for pelas equipes, será pela torcida.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *