O Rift Rivals chegou!

A disputa para decidir o grande vencedor da rivalidade latino-americana está para começar!

Batalhando pelo status de região mais forte entre as rivais da América Latina, CBLoL, LAN e LAS se enfrentarão com apenas um objetivo em mente: a vitória. Representados pelas melhores equipes da primeira etapa de suas regiões, os fãs de cada servidor têm grandes motivos para ficarem animados.

Com três equipes com passagens pelo MSI 2017, o Rift Rivals vai apontar qual região é superior e, aumentando o calendário de jogos, servirá como uma grande experiência internacional para as equipes participantes. RED Canids, Lyon Gaming e Isurus Gaming, após erguerem a taça de suas respectivas regiões e cravarem a participação no MSI 2017, têm pela frente um novo desafio, porém dessa vez acompanhados pelas equipes que disputaram as finais regionais: Keyd Stars, Just Toyz Havocks e Furious Gaming se juntam ao pelotão das campeãs para, em um sistema de duplas, disputar juntamente com seus compatriotas o título.

Apesar de resultados abaixo do esperado no MSI 2017 e na segunda etapa de suas regiões, as equipes da disputa chegam ao Rift Rivals calibradas e prometem não dar espaço à sorte.


(Divulgação/Riot Games)

Representando o CBLoL, RED Canids e Keyd Stars têm pela frente uma possível batalha um pouco mais difícil que o esperado.

Caso tivesse sido realizado ao final de abril, o Rift Rivals já teria uma região favoritíssima – o CBLoL. Logo após o término da primeira etapa do campeonato brasileiro, os rivais latino-americanos encontrariam em sua frente uma RED Canids muito acima do nível da disputa e com diversas cartas na manga, e uma Keyd Stars ainda em sua crescente da reta final. Infelizmente, o tempo passou, e o panorama brasileiro se alterou.

Com quedas perceptíveis nas primeiras semanas do seu regional após o MSI 2017, RED e Keyd precisaram se reencontrar para a disputa do CBLoL. Seja com troca de jogadores durante séries, utilização de reservas ou até mesmo “improvisar” um atirador de suporte, ambas as equipes conseguiram tirar proveito de perto do máximo potencial de seu plantel e comissão técnica.

No entanto, melhoras no desempenho das equipes não é motivo para relaxar. Com a disputa do Rift Rivals iminente, a Matilha e os Guerreiros não podem perder o foco do CBLoL, e aproveitar os dias de disputa internacional como aquecimento para a corrida para os playoffs aqui no Brasil.

(Divulgação/Riot Games)

Em alta nas últimas semanas, e MVPs da disputa entre as duas equipes, o Brasil levará dois de seus maiores jogadores ao Chile. Grandes destaques da série resultada em empate entre RED Canids e Keyd Stars, válida pela quinta semana do CBLoL, Felipe “brTT” Gonçalves e Murilo “takeshi” Alves têm a difícil tarefa de liderar as representantes brasileiras à vitória, superando seus adversários do LAN e LAS.

Outros destaques brasileiros são os experientes, e velhos conhecidos das equipes latino-americanas, Gabriel “tockers” Claumann, Felipe “Yang” Zhao e Gabriel “Revolta” Henud. Com passagens pela INTZ que diversas vezes duelou contra equipes de regiões vizinhas ao Brasil, o meio da Matilha e a dupla da Keyd Stars já triunfaram, até em solo brasileiro, contra equipes latinas e vêm fortes para a disputa.


(Divulgação/Riot Games)

Nosso vizinhos sul-americanos, a Copa Latinoamérica Sur será representada pela campeã da primeira etapa, Isurus Gaming, tendo como parceira a experiente Furious Gaming.

Após um péssimo MSI 2017, onde conseguiram apenas uma vitória em 6 jogos, a Isurus Gaming se uniu à Furious Gaming para acabar com o rótulo de região mais fraca da vizinhança. Para isso, ambas as equipes contam com jogadores com experiência internacional como os meios Uri e Emp, sendo o segundo considerado o melhor jogador do servidor LAS.

Atualmente, as duas equipes encontram-se no meio da tabela da Copa Latinoamérica Sur, a CLS. Devido à uma grande sequência de empates, Isurus e Furious Gaming vem tendo um rendimento abaixo do esperado para equipes finalistas da primeira etapa, principalmente no caso da Isurus Gaming que, após passagem pelo Brasil para a disputa do MSI 2017, poderia ter retornado para a segunda etapa com bagagem o suficiente para aumentar seu nível de jogo.

Indiscutivelmente, os representantes da CLS têm pela frente o caminho mais difícil desse Rift Rivals. Chegando para a competição como os underdogs, já taxados como os mais fracos há temporadas, eles precisaram se impor diante dos adversários e surpreender, repetindo um feito recente da Isurus quando, no MSI 2017 em duelo contra a Virtus.Pro, conseguiram arrancar uma vitória no último dia de seu grupo na Fase de Entrada, retirando as chances de classificação da organização russa.

(Divulgação/Riot Games)

Os grandes destaques dos Hermanos são os meios Uri “Uri” Latorre e Benjamín “Emp” Ramírez e o suporte Leandro “Newbie” Marcos. Com grandes atuações na etapa passada, Newbie e Emp foram peças-chave para o título da Isurus Gaming e para garantir o carimbo no passaporte da equipe para o MSI 2017. O veterano uruguaio Uri, no auge de seus 27 anos e com vasta experiência internacional, sempre foi um dos grandes nomes do cenário latino-americano, conquistando no passado o bicampeonato em sua época no LAN, jogando pela Lyon Gaming.

Vale ainda destacar as possíveis ameaças que são caçadores Diego “QQMore” Apablaza, da Isurus Gaming, e Cristian “Khynm” Roussy, da Furious Gaming. Khynm foi responsável por assumir o posto deixado pelo conhecido caçador Julio “Juliostito” Berríos após sua aposentaria e por duvidar que Gabriel “Revolta” Henud fosse capaz de roubar toda a sua selva.


(Divulgação/Riot Games)

Diretamente do México, as maiores ameaças para o Brasil nesse Rift Rivals chegam a competição com histórico extenso contra equipes brasileiras e péssimas atuações internacionais recentemente. Representando a Liga Latinoamérica Norte, Lyon Gaming e Just Toys Havoks têm um mesmo objetivo, porém missões diferentes.

Com vasta experiência internacional e, repetidas vezes, campeões do LAN – até o momento de fechamento dessa matéria, eles haviam sido campeões 7 vezes, reza a lenda que ganharam mais 2 de ontem para hoje – os leões do norte da América Latina chegam para o Rift Rivals como a principal ameaça aos times brasileiros e uma das equipes favoritas na corrida para o título. Apesar do domínio em sua região, a Lyon Gaming sempre encontrou dificuldades em palcos internacionais, não conseguindo apresentar todo o potencial prometido antes das competições. Recentemente, os leões tiveram uma péssima Fase de Entrada no MSI 2017, tornando o que possivelmente seria o grupo da morte, em um grupo morto.

Também representando a LLN, a Just Toys Havoks,  que bateu na trave duas vezes seguidas, conquistando dois vice-campeonatos, tem uma missão a parte da Lyon Gaming. Os brinquedos, além do título, buscam cravar um espaço no cenário latino-americano de League of Legends. Vindos da região que sempre foi dominada pela Lyon, a JTH terá o Rift Rivals como uma chance de mostrar para o mundo que existem outras potências no LAN além dos leões.

Extremamente dominantes em sua região, os grandes destaques da Liga Latinoamérica Norte são os jogadores da Lyon Gaming, em especial o meio Seiya, o suporte Genthix e o caçador Oddie. Os três jogadores são multicampeões no LAN e carregam grandes bagagens internacionais e, cada vez mais, mostram suas garras contra equipes de outros países. Com um retrospecto internacional recente ruim, os destaques da Lyon chegam ao Rift Rivals com uma oportunidade de se redimir, podendo imprimir toda a força da equipe mais dominante do continente contra adversários de nível igual ou menor.

(Divulgação/Riot Games)

O Rift Rivals começa amanhã, dia 05 de junho, às 17h (horário de Brasília) e terminará no dia 08 de junho.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *