Pílula do Dia Seguinte: DreamHack Masters Malmö 2017

Pílula do Dia Seguinte: DreamHack Masters Malmö 2017

O primeiro grande campeonato de CS:GO, desde a última pausa, chegou a sua conclusão nesse último fim de semana. Tivemos excelentes partidas e jogadas memoráveis. Alguns times decepcionaram, outros demonstraram uma capacidade promissora de levantar trofeus num futuro próximo. Nenhum dos brasileiros conseguiu o resultado que queríamos, e os times desacreditados (inclusive por mim, que errei completamente minhas previsões) foram as boas surpresas.

A final entre G2 e North foi, de certa forma, imprevisível. Os franceses finalmente se consagraram novamente campeões com essa line, depois de serem muito criticados pela falta de títulos. Com essa vitória, a G2 começa a dar sinais de que suas estrelas são mais do que meros talentos individuais, e que podem se transformar num time tão dominante quanto a era Fnatic em 2014-2015. Mas vamos a algumas análises do que podemos concluir de alguns principais times com o fim desse torneio.

G2 – Campeões

Depois de muito debate sobre a falta de um IGL, e de como shox jamais deveria assumir essa posição, a G2 provou que pode muito bem trabalhar da forma que vem trabalhando caso tenha tempo para por ordem na casa. É verdade que colocar uma estrela como shoxie na função de capitão pode ser um desperdício, mas, a verdade é que a dupla antiga com ele e Smithz sempre deram bons resultados, e com os dois nos papéis de IGL e Coach, talvez mantê-lo seja a escolha certa mesmo. KennyS deu um show a parte com sua AWP, fez jogadas brilhantes e carregou o time diversas vezes. Esse evento serviu para os outros times voltarem a sentir o medo dessa força francesa, que havia sido menosprezada em função dos resultados recentes.

North – Vice Campeões

Eu jamais poderia imaginar que o time dinamarquês fosse conseguir resultados tão rápidos, ainda mais depois de trocar, o que era considerado o melhor player do time, Magisk. A verdade é que valde chegou bem adaptado a equipe, por já ter jogado com os companheiros em outras ocasiões, e sob um campeonato fantástico de k0nfig, a North não só chegou até a final contra a G2, mas como para isso, precisou bater times como SK e Immortals além dos atuais campeões do Major, Gambit. Vitórias convincentes, time bem estruturado e um k0nfig com talento de sobra para deixar casters, viewers e adversários sem reações.

Ninjas in Pyjamas – 3-4º lugar

Que torneio da NiP! Chegar em 3-4º lugar, após perder somente para os campeões, não é algo para se menosprezar! Jogando em casa e em frente ao seu público, os suecos mostraram que a NiP Magic não só existe, como está bem viva! Dono dos, provavelmente, melhores highlights do torneio, os ninjas vieram de uma perfomance impecável na fase de grupos e consolidaram com vitórias em cima de Gambit e Natus Vincere. Get_Right e f0rest parecem que não perdem o talento, mesmo após serem figuras recorrentes no cenário competitivo de CS há tanto tempo. Mas a figura que roubou a atenção nesse torneio foi draken! O garoto fez um espetáculo com a AWP, com flicks e reações sobrehumanas, draken mostrou que ele e REZ são mais do que apenas mera renovações para o time. Com a regra de coach suavizada nesse torneio (onde eles puderam falar durante os freezetimes), é provável que THREAT tenha sido um dos grandes responsáveis por essa apresentação do time. Sob organização dele e com esses novos talentos, a NiP começa a reaparecer nas primeiras posições, e quem sabe não veremos uma NiP de volta no topo do ranking mundial?

Gambit – 3-4º lugar

Depois de ter perdido o coach e Zeus, considerado como o grande responsável pelo sucesso do time, ninguém botava muita fé na Gambit. Mesmo com jogadores incríveis como Adren e Hobbit, sem uma liderança e organização, muitos acreditaram que o time voltaria a época onde eram apenas “promissores” e “zebras”. A verdade é que fitch veio com tudo e, não só parece que o time está sendo bem liderado, como o próprio capitão estava arrasando nas balas. Com um poder de fogo melhor do que Zeus, ao que parece, a Gambit pode ter se beneficiado com essa mudança. Basta saber se fitch conseguirá chegar no level de mindgames de Zeus, e sem dúvida, esse time chegará no próximo major tentando a reconquista.

SK Gaming – 5-8º lugar

Esse campeonato não foi o que esperávamos da SK. Depois de um tempo considerável de descanso e de títulos recentes, é normal que as cobranças continuem. Mas a verdade é que podemos achar pequenos detalhes nos últimos trofeus da SK, que possam “desmerecer” um pouco a competência deles. A DreamHack Masters Malmö era o torneio para calar os críticos e mostrar que os brasileiros tem tudo o necessário para serem chamados de, definitivamente, os melhores do mundo. Recheado de times incríveis e fortíssimos, essa era a chance da SK provar o seu valor. Mas não foi bem o que aconteceu. A SK não teve resultados convincentes, perdeu a primeira posição do grupo para North, e se classificou em cima de uma Cloud9 ainda em reestruturação e um time fraquíssimo de Cingapura, que ganhou 4 de 34 rounds disputados. No primeiro grande desafio contra a G2, o time cometeu erros gravíssimos que custaram sua vida no torneio. Depois de ter vencido o primeiro mapa, a SK chegou a ter vantagem para fechar logo no segundo mapa… até que um erro grosseiro de felps, custou o round e a economia dos round seguintes, mudando o momento do jogo para a G2, que acabou vencendo na prorrogação e levando para o terceiro mapa. Um erro desses é inadmissível para jogadores profissionais em alto nível como os da SK Gaming que, sem dúvida, precisará retrabalhar muitos aspectos dentro do jogo caso queira se manter no topo do ranking. Além disso, TACO não tem demonstrando um bom nível de jogo. Mais uma vez, com uma perfomance baixa em um torneio, sua credibilidade fica em xeque perante aos torcedores, e quem sabe, os próprios jogadores da SK. Sabe-se que a função dele é muito mais em prol do time do que na perfomance individual, atuando como entry-fragger e solo bomb de CT. Acontece que TACO nunca foi um grande nome na posição entry-fragger, sempre foi “razoável”, mas ele sabia segurar bem o bomb por conta própria… o que também não tem acontecido mais. Fica complicado quando um jogador como felps, que chegou recentemente ao time, já tem desempenho e críticas melhores, recebendo até mesmo o prêmio de MVP em alguns torneios, enquanto TACO continua atuando na sombra do time. Se a SK Gaming não obtiver melhores resultados e TACO continuar com baixo rendimento, podemos ver alguma troca em um futuro breve.

Immortals – 5-8º lugar

A segunda equipe de brasileiros também não apresentou o melhor do CS. Atuais vice campeões de Major, esperávamos uma perfomance mais parecida com a que Gambit apresentou. Nesse torneio, a Immortals só venceu contra a Fnatic, em um MD1 e um MD3. Fora isso, perdeu contra a G2 e North, que apesar de terem sido os dois finalistas, são times completamente possíveis de se vencer com a line atual da Immortals. kNg demonstrou que tem muito poder de frag e boltz continua impecável, sendo para mim, o jogador mais consistente do time. Acontece que o time ainda peca muito na leitura do jogo do adversário. A Immortals parece insistir em seu estilo de jogo agressivo, independente do que está acontecendo e como os times estão jogando. É verdade que essa pegada pode surpreender e ser difícil de lidar, mas também torna o time mais inconstante e faz com que resultados como o vice campeonato na PGL Major Kraków 2017 sejam mais esporádicos do que certezas. Uma vez que o time faça uma boa leitura e analise as jogadas da Immortals (o que deve acontecer com mais frequência, pois os brasileiros estão nos holofotes), o time vai encontrar cada vez mais dificuldades. A Immortals precisa rever também sua estratégia de duas AWPs. Por mais que Hen1 e kNg sejam monstros com a arma, esse tipo de setup precisa ser mais esporádico do que padrão. Manter a economia como CT é um desafio no CS:GO e o sucesso da partida depende muito desse controle. Durante o torneio, os adversários da Immortals pareciam sempre ter o controle econômico do jogo, muito em função disso. Vamos ver como os brasileiros vão se portar daqui pra frente.

FaZe Clan – 9-12º lugar

A FaZe era um time que todos queriam ver, pelo menos, nas semifinais. O time de diferentes nacionalidades e composto somente por estrelas é algo lindo de se ver, em tese. Na prática, o que vimos foi um time que ainda não está moldado. Durante as partidas da FaZe, foi possível perceber como o talento individual de cada um, será uma arma fortíssima no futuro. Tivemos jogadas impressionantes de olofmeister, niko, guardian e rain. Mas no geral, o time pecou em fundamentos básicos do jogo, como comunicação, trabalho em equipe, posicionamentos cruzados, uso de granadas e etc. O que vimos então, pareceu mais ser um pub formado por 5 pessoas talentosas do que um time talentoso. Karrigan precisa melhorar seu jogo, ou pelo menos, demonstrar que tem talento para administrar esses 4 monstros. Se ele não tiver o respeito, liderar esse time vai ficar cada vez mais impossível. Ainda é muito cedo pra falar dessa equipe, que eu tenho fé de que será altamente competitiva, e brigará por títulos constantemente. Digo mais, se bem organizado, a FaZe é uma equipe para criar uma era no CS:GO, assim como NiP e Fnatic, e parcialmente a LG/SK. Vamos lá, Karrigan! Faça esse time funcionar! Os fãs e o mundo precisa ver esse time dar certo!

A DreamHack Masters Malmö 2017 chegou ao seu fim, mas esse é só o início do segundo semestre de CS:GO.

Em setembro já temos a presença da SK Gaming em três torneios. A ESG Tour Mykonos 2017, na Grécia, começa agora dia 7 de setembro e contará com 8 times, incluindo SK Gaming, Gambit, Virtus.Pro e mousesports. Um torneio mais tranquilo, onde sem dúvida, os “problemas” dos brasileiros serão colocados em teste. A cobrança vai ser grande.

Além disso temos a volta da ELEAGUE Premier 2017 que começa nesse mês e termina em outubro, com o prize pool de 1 milhão de dólares! Todos os grandes times estarão presentes, e a fase de grupos já promete ser um desafio para os brasileiros, tanto da SK Gaming quanto da Immortals.

Enquanto a SK Gaming começa com seu torneio na Grécia no dia 7, a Immortals se prepara no Canadá no dia 8, onde participará da DreamHack Open Montreal 2017, um torneio menor e mais fraco, que também contará com a presença da Luminosity Gaming. A Immortals tem que demonstrar porque é a grande favorita, e torço bastante para que a LG consiga um bom resultado.

Para finalizar o mês de setembro, teremos um dos campeonatos mais populares do ano, a ESL One New York 2017. Os oito times vão batalhar pelo prêmio de 250 mil dólares. Teremos a chance de ver Astralis se redimir por esse último DreamHack e outros times como Cloud9, FaZe, Na’Vi, a própria SK e Virtus.pro.

Setembro promete!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *