Series em foKo: Kingzone DragonX vs KSV eSports

Há 74 dias a Samsung Galaxy ergueu a Summoner’s Cup. É, meu amigo (a), o tempo passa mais rápido que o Rammus de Predador, Botas da Mobilidade e Powerball ativado e o LOL Champions Korea já começou. A primeira partida foi protagonizada por duas grandes equipes: SSG e LZ, ambas defendendo novas organizações. A KSV eSports (proprietária da Seoul Dinasty, franquia da Overwatch League) adquiriu a line-up campeã mundial. Já a Longzhu precisou ser vendida para evitar conflitos de interesse e se tornou Kingzone DragonX. Só pra contextualizar: a empresa da China que comprou a Longzhu TV também é dona da Suning Gaming, equipe do LPL.

Os uniformes são novos, mas o estilo das esquadras não mudou. A KSV manteve seu ótimo controle de jogo durante o mid e lategame. A chegada do caçador Han “Peanut” Wang-ho amplificou a agressividade e ousadia da Kingzone DragonX. Sabendo disso, não é nenhuma surpresa essa série ter lembrado muito as quartas-de-final do 2017 World Championship, tanto pelo placar como pelas interações dos times na Summoner’s Rift.

Peanut mostrou desde o primeiro minuto que o “Battle Ward” voltou. Com sua icônica Nidalee, ele começou a partida invadindo o buff vermelho do time adversário. Gwak “BDD” Bo-seong abusou do waveclear da Cassiopeia e colocou a KSV em uma situação complicada: ceder o objetivo ou contestá-lo mesmo sem ter a prioridade. Eles escolheram a segunda opção e o resultado foi o first blood a favor da KZ. O caçador da Kingzone manteve a agressão e tentou roubar os raptores, mas morreu quando Kang “Ambition” Chang-yong estava pronto para punir sua falta de visão e HP durante a jogada. O placar marcava 1 à 1 e em cinco minutos pudemos ver o melhor e o pior do estilo de do jovem jungler.

A jogada que definiu o tom da partida e da série aconteceu aos 13 minutos. Lee “Crown” Min-ho venceu o duelo contra BDD e escapou da chegada de Peanut e GorillA. Instantes depois a DragonX conseguiu dois kills no bot, mas a resposta da KSV foi com a torre do top e o Arauto do Vale. As chances da KZ foram eliminadas quando eles perderam uma teamfight após capturar o Baron Nashor. O jogo se encerra em uma luta iniciada com Chamado do Deus da Forja de KZ Rascal, porém, a habilidade foi totalmente anulada pelo Inquebrável do Braum de KSV CoreJJ. A chave para a vitória dos atuais campeões mundiais foi o fato de que a Kingzone não conseguia aliviar a pressão do 1-3-1 da KSV e forçar embates 5 contra 5 parecia impossível, pois a sua única ferramenta de engage era facilmente neutralizada.

O segundo mapa teve um início mais calmo, o que favorece (em teoria) a KSV. A primeira movimentação importante aconteceu aos 11 minutos, quando os times trocaram objetivos: a Kingzone capturou o Cloud Drake enquanto seus oponentes eliminaram o Arauto do Vale. Rascal fez bom uso do counter pick de Vladmir em cima de Gangplank e, além de garantir o First Brick, criou uma boa vantagem de farm.

Assim como no primeiro mapa, as marés viraram a favor da KSV através de um outplay na faixa dos 19 minutos de jogo. Dessa vez, o time de Crown & Cia. venceu dois skrimishes simultaneamente, criando uma gold lead enorme. Com a vantagem assegurada e itens importantes completos, eles fizeram ajustes no seu setup de lanes e, novamente, a DragonX não conseguiu responder à altura. Em desespero, a KZ tentou iniciar uma fight, mas todos os jogadores foram eliminados, dando a vitória à KSV.

O plano de jogo da Kingzone dependia do seu atirador limpar as waves rapidamente, dando ao time prioridade nas lanes, o que permite invasões e a preparação de objetivos. Entretanto, essa ideia foi por água abaixo em função da escolha de Braum da KSV. O coração de Freljord pode bloquear o Ricochete e a Lâmina Bumerangue com seu escudo, reduzindo o damage output e o waveclear da Sivir, tornando a campeã praticamente inútil naquela composição.

Para a KSV eSports, a palavra-chave é consistência. O trabalho em equipe dessa line-up é incrível e se os jogadores mantiverem seu nível individual, é de se esperar que esse formação tenha grande impacto na Coréia e talvez em campeonatos internacionais. Já os fãs da Kingzone DragonX precisam aguardar um pouco mais. O time não pode usar Kim “Khan” Dong-Ha, sua maior estrela, e serão necessárias algumas semanas para a organização encontrar sua identidade. Ver o desenvolvimento desse roster será muito interessante, pois eles podem manter a abordagem agressiva de 2017 ou optar por um estilo versátil e equilibrado.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *