Um olho na taça, outro no Mundial: a volta da LCS EU

Um olho na taça, outro no Mundial: a volta da LCS EU

A segunda etapa da EU LCS 2018 começa hoje cercada de expectativas. Depois de uma respeitável atuação dos europeus no MSI 2018, os times da atual melhor liga do Ocidente querem buscar ainda mais sucesso internacional, e isso começa com uma boa campanha na competição local.

Equipes tradicionais como a Fnatic e a G2 procuram nada menos do que repetir os sucessos dos últimos anos e erguer a taça, com Vitality e Splyce de olho em desbancá-los. Enquanto isso, novas promessas tentam se estabelecer como estrelas, com destaque para Jiisuke e Attila, Mid e AD Carry da Vitality, respectivamente. Também vale a pena apostar em algumas surpresas, como a volta da Misfits para a parte de cima da tabela e uma busca pelos playoffs por parte da equipe do Schalke 04. Com isso em mente, vamos dar uma olhada no que se espera de cada equipe europeia para os próximos meses.

OS ESQUECIDOS

UNICORNS OF LOVE

A UOL é queridinha dos fãs de League da LCS, com torcida sempre animada comparecendo ao auditório. Porém, ficou em último lugar na primeira etapa e, sem mudanças no elenco principal, não podemos esperar muito mais dos Unicórnios.

A Unicorns of Love decepcionou no primeiro semestre (Divulgação / Riot Games)

TEAM ROCCAT

A equipe da ROCCAT teve altos e baixos no primeiro semestre, surpreendendo ao vencer a G2 logo na primeira semana, mas sem se destacar ao enfrentar os outros times do meio da tabela. O mid-laner coreano Blanc foi o principal responsável pelos bons momentos do time, mas com o meta jogando o foco para as sidelanes, a expectativa é de que as próximas semanas sejam difíceis para o time alemão.

GIANTS GAMING

Depois de um excelente início de ano, com direito a vitória sobre a G2, a Giants decepcionou na reta final do primeiro split de 2018, perdendo 8 dos últimos 10 confrontos. Sem grandes mudanças no time titular, não há muita esperança de que a Giants surpreenda e alcance uma vaga para a segunda fase.

EM BUSCA DE REDENÇÃO

MISFITS GAMING

A Misfits foi a surpresa do Mundial 2017, alcançando a fase de mata-mata apesar de serem considerados prováveis últimos lugares de seu grupo. Mas depois de dar adeus à estrela coreana IgNar e ao mid-laner Power of Evil, o time perdeu seu brilho e ficou de fora da segunda fase da primeira etapa da LCS. O foco da equipe agora é voltar aos playoffs e buscar uma improvável vaga para o mundial para mostrar que ainda é um dos grandes da Europa.

SCHALKE 04

Apesar de ter ficado atrás da ROCCAT na tabela no primeiro semestre, o Schalke tem mais coisas em seu favor para o segundo semestre. A adição do experiente Amazing na selva deve ser um grande ponto positivo para a equipe. Além disso, o time mostrou mais consistência nos confrontos contra os outros times do meio da tabela, o que significa que qualquer melhoria para esta segunda etapa pode levá-los aos jogos de mata-mata.

O jungler Amazing volta a Summoners Rift depois de um split como analista das transmissões da EU LCS (Divulgação / Riot Games)

H2K GAMING

Um dos times que tem muito potencial para surpreender na segunda etapa, a H2K teve problemas em voltar de desvantagens no primeiro semestre, mas jogou bem quando estava à frente. Se o time melhorar o desempenho nos momentos decisivos e criar mais vantagens no early game, o céu é o limite, mas caso mantenham o padrão que mostraram até aqui, não deve perturbar os principais candidatos para as vagas do mundial.

A CAMINHO DO MUNDIAL

SPLYCE

Peter Dun, ex-coach da INTZ, recebeu o prêmio de melhor coach da primeira etapa da EULCS 2018, e não foi por acaso. Com um elenco recém montado, os membros da Splyce jogaram como se estivessem juntos há temporadas, exibindo organização e disciplina exemplares dentro de jogo. Com tanto potencial, cabe aos jogadores cumprir a próxima missão: garantir uma das 3 vagas para o mundial.

A Splyce tem grandes ambições e está focada em garantir sua presença no mundial (Divulgação / Riot Games)

VITALITY

A Vitality mostrou seu imenso potencial logo de cara em 2018, com 7 vitórias nos primeiros 8 confrontos do ano. Depois de ter perdido o ritmo e terminado o semestre com 10 vitórias e 8 derrotas, o dever de casa para a Vitality é simples: tentar replicar a disciplina e a consistência que mostram Splyce, G2 e Fnatic, para competir por uma vaga no mundial.

G2

Depois de duas temporadas inteiras dominando o cenário europeu, a poderosa dupla Zven e Mithy deixou a G2 rumo a TSM. O time claramente sofreu com a perda das duas estrelas, mostrando dificuldade em manter sequencias de vitórias no início do ano. Agora com um semestre de experiência como equipe, a esperança é de que o time mostre mais entrosamento e menos dependência do mid-laner Perkz, especialmente com o meta focado nas sidelanes. A G2 vai tentar contestar o título, mas a prioridade é não perder a vaga para o Mundial.

OS DONOS DA BOLA

FNATIC

Dois anos à sombra da G2 foram frustrantes para a tradicional Fnatic, mas Rekkles e companhia aproveitaram o momento de transição em que os rivais se encontravam após a remodelação de seu elenco para retomar o trono da LCS europeia. Após uma primeira etapa imponente e um MSI satisfatório, a FNC tem tudo pra dominar a Europa mais uma vez: um elenco entrosado, disciplina dentro de jogo e a volta do top laner sOAZ, que ficou fora por 2 meses com uma lesão na mão. Além disso, o novo meta de escolhas “incomuns” na bot lane favorece Rekkles, que é conhecido por se adaptar bem a novos metas e por grandes performances em campeões pouco vistos na posição de AD Carry.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *